Forum Base Militar Web Magazine

Bem-vindo: Ter Nov 12, 2019 8:27 pm

Todos os horários são




Criar novo tópico Responder  [ Array ]  Ir para página Anterior  1 ... 22, 23, 24, 25, 26  Próximo
Autor Mensagem
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Qui Abr 23, 2015 12:01 am 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Fev 18, 2010 6:44 pm
Mensagens: 958
Será mesmo? Se for será uma grande alegria de minha parte, pois ao menos essa empresa genuinamente nacional e de importância estratégica para o país não irá para a mão dos estrangeiros.

FLASHES - Rumores Confirmados?
Imagem

Os rumores de uma associação da Odebrecht Defesa e Tecnologia (ODT) e AVIBRAS Aeroespacial, ou a absorção desta pela ODT são constantes.

Porém, o “Flash” capturado por DefesaNet durante a LAAD 2015 nada mais é do que o CEO da ODT André Amaro (esq), o Presidente da AVIBRAS Aeroespacial Sami Hassuani (cenro) e o Assessor da ODT Cel Oliva, que gentilmente concordaram posar para DefesaNet.

Entre comentários dos fotografados estavam os rumores.

Portanto ainda estamos atrás da notícia.
Link(http://www.defesanet.com.br/laad2015/noticia/18858/FLASHES---Rumores-Confirmados-/).


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Qua Jan 27, 2016 7:56 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Seg Jan 08, 2007 5:22 pm
Mensagens: 9197
Localização: Brasília - DF, Brasil
Imagem

Avibrás planeja faturar R$ 1,3 bi neste ano

jan 26, 2016

Imagem
(Imagem: Ivan Plavetz)

Roberto Godoy
O Estado de São Paulo


Cinco anos depois de sair da recuperação judicial, a fabricante de mísseis Avibrás volta a superar a marca de R$ 1 bilhão em faturamento, com boa parte dos pedidos vinda do mercado internacional, e espera aumentar as vendas em 2016.

A Avibrás, indústria aeroespacial de São José dos Campos (SP), surpreendeu o mercado, há duas semanas, com o anúncio dos resultados financeiros de 2015. No ano passado, a receita bruta da empresa chegou a R$ 1,1 bilhão, valor que é cerca de oito vezes maior que o gerado em 2012 e muito distante dos limites da crise iniciada há pouco mais de sete anos e da qual o grupo, dedicado a produção de sistemas de defesa, só começou a sair consistentemente em 2014, quando a receita atingiu R$629,9 milhões.

“Em 2016, vamos continuar atuando fortemente nas transações externas”, disse o superintendente João Brasil de Carvalho Leite. A meta, segundo ele, é superar o patamar de R$ 1,3 bilhão em faturamento. “Nada mau depois de um longo ciclo negativo” disse o presidente da Avibrás, Sami Hassuani.

A empresa ficou em recuperação judicial entre 2008 e 2010, demitiu centenas de funcionários, foi obrigada a vender boa parte dos ativos imobiliários e chegou muito perto da insolvência. Os credores foram pagos sem deságio e receberam correção monetária. Neste ano, planeja contratar mais 300 pessoas para reforçar o quadro de 1.695 funcionários.

Quase toda a receita da empresa vem de operações no mercado externo. Em 2015 a participação das Forças Armadas brasileiras no volume total do faturamento ficou em R$ 100 milhões. Em 2016, por causa da crise econômica e das restrições orçamentárias, não deve passar de R$ 80 milhões. Todavia, a principal aposta e programa prioritário da Avibrás é do Exército, com uma variante específica para o Corpo de Fuzileiros Navais.

Trata-se da geração 2020 do sistema de lançadores múltiplos de foguetes Astros, a sexta desde o início da série, há 30 anos. Muito moderna, contempla pela primeira vez no País, o emprego de um míssil de cruzeiro, o AV-TM com alcance de 300 Km e aumenta a capacidade dos foguetes AV-SS-40, com raio de ação na faixa de 40 km, por meio de sensores de guiagem primária. Mais que isso, o conjunto Astros 2020 vai incorporar uma nova munição, capaz de atingir alvos a 150 Km, também dirigida eletronicamente.

Há boas possibilidades para o produto no mercado internacional. “Nossa forte atuação no exterior gerou uma carteira de pedidos da ordem de R$ 4 bilhões e perspectivas reais de crescimento da ordem de mais R$ 8 bilhões nos próximos anos”, disse Hassuani.

Crise

Até agora, entretanto, a jornada da Avibrás vinha sendo pedregosa. Em janeiro de 2008, o engenheiro e fundador da empresa, João Verdi, tratava de desenhar os planos de engenharia que fariam do lançador de foguetes Astros II (o principal produto da empresa) um elemento de defesa do estreito de Málaca, por onde transitam 70% do petróleo do mundo. Verdi tinha pressa. O cliente interessado, o exército da Malásia, queria contar com o recurso como elemento dissuasivo frente a uma eventual aventura militar vinda da vizinhança nervosa.

O negócio superava os R$ 500 milhões, um dinheiro fundamental no ambiente pesado que se abatia sobre o mercado financeiro internacional e atingia, no Brasil, setores estratégicos como a indústria de equipamentos militares. Era um bom projeto. Faltou combinar com o destino.

Era um bom projeto. Faltou combinar com o destino

No dia 28, João Verdi e a mulher, Sonia Brasil, decolaram do condomínio onde haviam passado o fim de semana, em Angra dos Reis, para voltar para casa, em São José dos Campos (SP). Iam a bordo de um de seus dois helicópteros, o mesmo que usavam rotineiramente para ir da residência ao escritório ou para viagens, várias delas internacionais.

Pequena distância, rota conhecida. Verdi, um hábil piloto, estava no comando. O voo curto nunca foi completado. A aeronave caiu em meio à mata densa da serra, a altura da praia de Maranduba, no litoral norte de São Paulo. João e Sonia morreram. Os restos da aeronave só foram localizados um ano e meio depois, em julho de 2009.

“O céu desabou sobre a Avibrás naquele momento”, lembrou Hassuani. A indústria aeroespacial, fortemente identificada com a imagem de seu criador e depositária de significativo patrimônio tecnológico, teve negócios interrompidos e entrou em uma longa fase de dúvidas e incertezas da qual só se livrou no fim do ano passado.

Verdi era uma figura e tanto. Nos anos 1980, dividia com José Luis Whitaker Ribeiro, presidente da extinta Engesa, fabricante de blindados, e com Ozires Silva, fundador da Embraer, o panteão dos empresários brasileiros que abriram praças comerciais para o portfólio nacional de material militar e aeroespacial. Clientela difícil, como eram o Iraque, a Líbia e a Arábia Saudita.

João Verdi era recebido por Saddam Hussein para jantar em Bagdá e despachava 24 horas depois com o rei saudita Fahd Bin Abdul Aziz al-Saud em Riad. Participava pessoalmente da entrega e dos testes dos lançadores Astros.

Para horror do Ministério das Relações Exteriores, ia parar na frente de batalha para verificar o desempenho dos seus “meninos”, os foguetes que saíam das linhas instaladas no km 14 da rodovia dos Tamoios, na represa de Santa Branca.

A Avibrás nunca conseguiu superar a cifra de US$ 1 bilhão em vendas internacionais registrada há 30 anos, sob o comando de Verdi.

Novo míssil exige R$ 1,2 bi de investimento

Programa prioritário da Avibrás, a geração 2020 do sistema Astros deve consumir R$ 1,2 bilhão em investimentos. Segundo Hassuani, o primeiro lote será entregue em 2017. Arábia Saudita, Catar, Malásia e Indonésia estão entre os usuários do sistema. Fontes do governo admitem a existência de discussões avançadas envolvendo o fornecimento da configuração 2020 para Angola, Colômbia e Peru. A Avibrás não confirma.

Parte do programa, o míssil de cruzeiro AV-TM faz navegação inteligente. Leva, na ogiva, a carga explosiva de 200 Kg. Cada míssil custará cerca de US$ 1,2 milhão. As encomendas iniciais devem envolver um lote de 100 unidades. A atual versão do AV-TM é resultado de 13 anos de aperfeiçoamento. O desenho é compacto, com asas retráteis. O míssil, subsônico, mede 5,5m e usa materiais compostos. O motor de aceleração inicial utiliza combustível sólido e só é ativado no lançamento – em seguida, entra em ação a motorização a combustível líquido. A turbina é construída pela Avibrás.

Uma bateria do sistema Astros é composta por seis carretas lançadoras, com suporte de apoio de seis remuniciadoras, um blindado de comando, um carro-radar de tiro, um veículo estação meteorológica e um de manutenção. O míssil AV-TM é disparado por contêineres duplos. O foguete SS-30 atua em salvas de 32 foguetes e o SS-40, de 16; os SS-60 e SS-80 de três em três. O grupo se desloca a 100 km/hora em estrada preparada. Cumprida a missão, deixa o local deslocando-se para outro ponto da ação, antes que possa ser detectado.

Ivan Plavetz

Tecnologia & Defesa:http://tecnodefesa.com.br/avibras-planeja-faturar-r-13-bi-neste-ano/

O Estado de São Paulo: http://economia.estadao.com.br/noticias ... 0000013397


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Ter Fev 09, 2016 11:16 am 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Nov 29, 2007 9:11 pm
Mensagens: 9903
Localização: Caxias do Sul - RS
Imagem
Imagem/Foto: Avibrás Via Defesaaereanaval.

Sds.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Ter Fev 09, 2016 1:50 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qua Dez 11, 2013 10:29 pm
Mensagens: 1885
Localização: Hell de Janeiro
Baschera escreveu:
Imagem
Imagem/Foto: Avibrás Via Defesaaereanaval.

Sds.


Eu vinha postar exatamente isto!!!! :D :D :D :D


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Ter Fev 09, 2016 6:24 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Fev 18, 2010 6:44 pm
Mensagens: 958
O bixo ficou com um visual muito agressivo, esse visual aparenta ser feito para navios e submarinos.
Agora espero que desenvolvam uma versão com maior alcance, no mínimo uns 1000km e versoe
Submarino superfície e superfície superfície.
Parabéns Avibras.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Ter Fev 09, 2016 8:57 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Visitar website do usuário  Perfil

Registrado em: Ter Nov 06, 2007 6:50 pm
Mensagens: 4256
Localização: Brasil, RJ
A matéria diz que a turbina é construída pela Avibrás.

Seria a turbina projetada pela Polaris?

http://exame.abril.com.br/tecnologia/no ... ra-misseis

atenciosamente,

_________________
::Robson Rocha
http://www.comunicarteei.blogspot.com


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Ter Fev 16, 2016 7:16 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Fev 18, 2010 6:44 pm
Mensagens: 958
Avibrás irá desenvolver plataforma para dispistadores de mísseis da MB

Imagem

Link:(http://cdn2.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2016/02/SLDM_Barroso.jpg)

Comentários: Á meu ver esse é o inicio do desenvolvimento do futuro VLS nacional.
Sempre defendi o desenvolvimento de um vls baseado nesse sldm nacional,quem sabe alguém da MB ou MD leu meus post,s?
Vou além, quem sabe esse não seja o início do desenvolvimento da versao naval do MT-300 matador?
Á esperança prevalece.
Avibrás, orgulho nacional,sonho em estagiar ou trabalhar nessa empresa viu.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Qua Fev 17, 2016 1:09 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Sex Jan 01, 2010 9:52 pm
Mensagens: 9235
foxtrot escreveu:
Avibrás irá desenvolver plataforma para dispistadores de mísseis da MB

Imagem

Link:(http://cdn2.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2016/02/SLDM_Barroso.jpg)

Comentários: Á meu ver esse é o inicio do desenvolvimento do futuro VLS nacional.
Sempre defendi o desenvolvimento de um vls baseado nesse sldm nacional,quem sabe alguém da MB ou MD leu meus post,s?
Vou além, quem sabe esse não seja o início do desenvolvimento da versao naval do MT-300 matador?
Á esperança prevalece.
Avibrás, orgulho nacional,sonho em estagiar ou trabalhar nessa empresa viu.

Uma empresa que atrasa os salários e vive a beira da falência?


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Qua Fev 17, 2016 5:11 pm 
Offline
Intermediário
Intermediário
 Perfil

Registrado em: Sáb Abr 18, 2009 8:29 am
Mensagens: 210
wstrobel escreveu:
foxtrot escreveu:
Avibrás irá desenvolver plataforma para dispistadores de mísseis da MB

Imagem

Link:(http://cdn2.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2016/02/SLDM_Barroso.jpg)

Comentários: Á meu ver esse é o inicio do desenvolvimento do futuro VLS nacional.
Sempre defendi o desenvolvimento de um vls baseado nesse sldm nacional,quem sabe alguém da MB ou MD leu meus post,s?
Vou além, quem sabe esse não seja o início do desenvolvimento da versao naval do MT-300 matador?
Á esperança prevalece.
Avibrás, orgulho nacional,sonho em estagiar ou trabalhar nessa empresa viu.

Uma empresa que atrasa os salários e vive a beira da falência?


Pois é... conheço pessoas que vieram da Avibrás... dizem que ficam meses sem salário, de repente a empresa fecha um contrato e recebem tudo de uma vez, depois mais outro período sem pagamento. Por isso muitos já deixaram a empresa. Trabalhar numa empresa onde você nunca sabe quando e quanto vai cair na sua conta não dá.
Não sei como ela está agora, mas não acho que isto tenha mudado muito não.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Qua Fev 17, 2016 5:14 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Fev 18, 2010 6:44 pm
Mensagens: 958
Sim caro Wstrobel, isso porque nosso "amado" governo e militares, só visam os produtos super faturados estrangeiros.
Que apesar de serem muito importantes,ainda assim rendem mais lucro em propinas que os similares nacionais.
Dessa forma não há industria de defesa nacional que aguente.
Vide exemplo da disputa Tupi/Shepar X LMV Iveco.
Ou Guará/ Gladiador II X internacionais.
O Brasileiro tem que aprender,que precisamos de soluções Brasileiras para problemas Brasileiro.
Programas nacionais mobilizadores, conduzidos por empresas e instituições de P&D nacionais.
Com encomenda substanciais,como foi o caso do projeto Vant.
Que gerou o vant Falcão,más que infelizmente foi sabotado por essa empresa Harpia,e pelos produtos Israelenses Hermes 450/900.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Qui Fev 18, 2016 11:10 am 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Seg Jan 08, 2007 5:22 pm
Mensagens: 9197
Localização: Brasília - DF, Brasil
Sempre defendo os produtos e empresas nacionais (em determinadas situações as nacionalizadas também), mas não acho a Avibras nenhum exemplo administrativo a ser seguido. Ainda penso que ela devesse ser adquirida por empresas nacionais maiores e mais sérias (ou menos desorganizadas), ou mesmo fazer uma fusão com outras empresas.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Qui Fev 18, 2016 11:32 am 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Seg Jan 08, 2007 5:22 pm
Mensagens: 9197
Localização: Brasília - DF, Brasil
Baschera escreveu:
Imagem
Imagem/Foto: Avibrás Via Defesaaereanaval.

Sds.

Esta deve ser a versão de maior alcance e de ataque terrestre (terra-terra e ar-terra), como Tomahawk, SCALP e 3M-14E. A outra versão ainda está valendo, mas para outro tipo de combate (terra-mar, mar-mar e ar-mar), usando o perfil de voo sea skimming como o RBS-15, Exocet BIII e Harpoon.

O EB e a MB já devem estar trabalhando em vetores (veículos lançadores como o Astros e fragatas de 6k ton) para usar este tipo de armamento estratégico (no nosso caso, é claro. Em outros países estes armamentos são táticos), mas e a FAB?! Vão usar no F-39?! Se a resposta for sim, só podem estar de brincation with me. :lol:

É o que dá quando temos oficiais que pensam a FAB como uma sucursal/aeroclube. :twisted:


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Dom Abr 24, 2016 2:46 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Visitar website do usuário  Perfil

Registrado em: Ter Nov 06, 2007 6:50 pm
Mensagens: 4256
Localização: Brasil, RJ
Citação:
LAAD Security 2016: Avibras agita o mercado de blindados com o Guara
Por Tecnodefesa - abr 14, 2016
Imagem
Com capacidade para cinco tripulantes devidamente equipados, a viatura Guara 4WS é destinada ao emprego tático em operações especiais de forças de segurança em área urbana, realizando o combate ao crime organizado de trafico de drogas, assalto a bancos e carros fortes, etc. versátil, pode ser utilizado em áreas rurais no combate aos conflitos armados irregulares. Também está disponível na versão transporte de tropas com capacidade para 10 tripulantes e na versão com blindagem apropriada para Defesa Civil e Polícia Florestal, dentre outras versões em estudo.
Imagem
Para conhecer um pouco mais sobre o Guara 4WS e suas capacidades, Tecnologia & Defesa entrevistou o senhor Marcos Agmar de Lima e Souza, gerente de desenvolvimento de negócios da Avibras, presente a LAAD Security 2016.

T&D: Quais as expectativas da Avibras com relação a presença do Guara 4WS na LAAD Security 2016?

Marcos Agmar: As melhores possíveis, na feira o carro está despertando grande interesse dos visitantes, de forças policiais e mesmo das delegações de Forças Militares estrangeiras que estão na LAAD Security. Muitos podem questionar se o atual momento seria o mais propício para lançar o Guara 4WS, mas entendemos que é na adversidade que um bom produto como o nosso pode se destacar e conquistar mercado. Clientes potenciais do exterior, de forças policiais e militares, ficaram positivamente impressionados com o que estão vendo na LAAD Security 2016.

Imagem

T&D: Quais os próximos passos do Guara 4WS após a LAAD Security 2016?

Marcos Agmar: Após a feira esse carro (único protótipo) volta as mãos do nosso departamento de engenharia para que os testes internos da Avibras continuem até setembro, e a partir daí já deveremos estar em conversações com o Exército Brasileiro para que ele seja avaliado no Centro de Avaliação do Exército (CAEx), pois a certificação do Exército certamente facilitará a entrada desse carro no mercado. Em muitos aspectos a avaliação do Exército não só vai nos ajudar não só na questão institucional, mas também vai nos orientar. Coisas acontecem durante os testes e isso pode reorientar os rumos do projeto. Ainda não sabemos quanto tempo esse processo demandará, mas acreditamos que no primeiro semestre de 2017 o carro possa estar certificado, a Avibras ainda não decidiu se haverá um segundo protótipo, o que faria o desenvolvimento ocorrer em paralelo com os dois protótipos, vai depender da estratégia adotada pela empresa.
link para íntegra da entrevista em http://tecnodefesa.com.br/laad-security ... m-o-guara/

_________________
::Robson Rocha
http://www.comunicarteei.blogspot.com


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Seg Abr 25, 2016 4:04 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Fev 18, 2010 6:44 pm
Mensagens: 958
Entregar o Guará MK-2 para testes no Cavex ? por oficiais que não entendem nada do cenário operacional internacional moderno ??
Para mim, isso será um erro da Avibrás, vão acabar com o designe do veículo, sem falar nas sua qualidades operacionais.
Na minha modesta opinião, acho que a Avibrás deveria entregar esse protótipo para as unidades que operarão no Líbano.
Posteriormente recolhendo informações dos soldados que operarão o veículo em um T.O operacional e de grande intensidade.
Pois é a tropa que sabe o que realmente é necessário , pois é ela que coloca a cara para bater.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Avibrás
MensagemEnviado: Sex Abr 29, 2016 12:13 am 
Offline
Intermediário
Intermediário
 Perfil

Registrado em: Sáb Dez 21, 2013 7:13 pm
Mensagens: 234
Não é por nada não Lord, mas creio que esse míssel seja do "seja" do tamanho do Gripen! Kkkkkk
Wellington Góes escreveu:
Baschera escreveu:
Imagem
Imagem/Foto: Avibrás Via Defesaaereanaval.

Sds.

Esta deve ser a versão de maior alcance e de ataque terrestre (terra-terra e ar-terra), como Tomahawk, SCALP e 3M-14E. A outra versão ainda está valendo, mas para outro tipo de combate (terra-mar, mar-mar e ar-mar), usando o perfil de voo sea skimming como o RBS-15, Exocet BIII e Harpoon.

O EB e a MB já devem estar trabalhando em vetores (veículos lançadores como o Astros e fragatas de 6k ton) para usar este tipo de armamento estratégico (no nosso caso, é claro. Em outros países estes armamentos são táticos), mas e a FAB?! Vão usar no F-39?! Se a resposta for sim, só podem estar de brincation with me. :lol:

É o que dá quando temos oficiais que pensam a FAB como uma sucursal/aeroclube. :twisted:


Voltar ao topo
 
Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ Array ]  Ir para página Anterior  1 ... 22, 23, 24, 25, 26  Próximo

Todos os horários são


Quem está online

Array


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido
Enviar anexos: Proibido

Ir para:  
cron
Powered by phpBB © 2000, 2002, 2005, 2007 phpBB Group  
Design By Poker Bandits  
Traduzido por: Suporte phpBB Brasil