Forum Base Militar Web Magazine

Bem-vindo: Sex Nov 22, 2019 2:32 am

Todos os horários são




Criar novo tópico Responder  [ Array ]  Ir para página 1, 2  Próximo
Autor Mensagem
 Título: Sikorsky
MensagemEnviado: Seg Ago 20, 2012 4:49 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Seg Jan 08, 2007 5:22 pm
Mensagens: 9197
Localização: Brasília - DF, Brasil
Citação:
Voa o primeiro helicóptero Sikorsky S-92 com uma fuselagem fabricada na Índia

Publicado em 20/08/2012 por Fernando Valduga em Brasil, Executiva, Helicópteros

Imagem
O primeiro helicóptero Sikorsky S-92 com uma fuselagem fabricada na Índia, realizou o primeiro voo, e será entregue para a Líder Aviação do Brasil após finalização da montagem nos EUA. (Foto: IANS)


O primeiro grande helicóptero bimotor Sikorsky S-92 – que pode ser usado tanto para fins civis como militares – com uma fuselagem fabricada na Índia, realizou seu primeiro voo e agora será enviado para a Líder Aviação do Brasil.


O Air Vice Marshal (reformado) Arvind Walia, executivo regional da Sikorsky para a Índia e Sul da Ásia, disse que a Tata forneceu 15 fuselagens para a empresa Sikorsky nos EUA, que está equipando elas com cockpits, motores , sistemas e rotores. Os helicópteros concluídos estão prontos para o fornecimento a clientes globais.

Os ensaios de voo no primeiro helicóptero S-92 com a fuselagem feita pela Tata tem progredido de forma satisfatória e o helicóptero está sendo customizado para ser entregue para a Líder Aviação do Brasil. A Líder freta tanto aeronaves como helicópteros para várias aplicações, incluindo manutenção de instalações de petróleo offshore.

Imagem
O helicóptero s-92 com fuselagem fabricada pela indiana Tata está agora realizando testes de voo nos EUA, antes de ser enviado para o Brasil. (Foto: IANS)

A Sikorsky e o grupo Tata já possuem uma joint venture numa parceria 26:74, a TARA, que fabrica e fornece cerca de 4.300 componentes para a Tata Advanced Systems Ltd. (TASL) em Hyderabad. A TASL, uma empresa do grupo Tata, faz com que estes componentes sejam encaixados nas fuselagens e depois envia tudo para a instalação da Sikorsky em Coatsville, na Pensilvânia.

Walia disse que TASL está fazendo a transformação das células de produção de baixa taxa inicial (LRIP) de duas por mês, mas deverá ser aumentada para três por mês, de acordo com a demanda até 2013.

A linha de produção possui um conceito de montagem em movimento e as células podem operar em qualquer parte do mundo, qualquer que seja o local que encomende os helicópteros.

Dois dos principais executivos da Sikorsky disseram que a empresa pretende desenvolver na Índia um hub para a fabricação nos próximos anos, dependendo dos requisitos indianos e internacionais.

Steve Estill, vice-presidente de Parcerias Estratégicas, e Bob Kokorda, vice-presidente de Vendas e Marketing, disse que, enquanto o S-92 é essencialmente um helicóptero civil, a Sikorsky também está aberta para a fabricação de helicópteros militares na Índia.

A oferta significativa apontada pela empresa é para desenvolver um helicóptero que possa operar em grandes altitude naa Índia, que poderia ser confortavelmente implantado em alturas acima de 20.000 pés para operações estratégicas e de logística.

A Índia tem os requisitos mais difíceis nos campos de batalha, como nenhum outro país no mundo, devido à altura da cadeia de montanhas do Himalaia, como em Siachen.

Ambos executivos, Kakorda e Estill disseram que a Sikorsky poderia realizar um trabalho de pesquisa e desenvolvimento para este empreendimento exclusivo ou em colaboração com uma empresa indiana HAL ou por conta própria, dependendo do interesse pelo governo indiano. A máquina proposta envolveria novas tecnologias e alto uso de materiais compósitos avançados.

Walia disse que ele já havia mencionado esta oferta a autoridades indianas nas discussões. “As especificações indianas são muito difíceis e as soluções que precisam de tecnologias de rotor e parâmetros de desempenho avançadas exclusivas”.

A idéia é desenvolver um helicóptero que pode realizar reconhecimento e operar em alturas como em Siachen com uma carga completa de carga ou tropas, uma capacidade que ainda não existe em qualquer lugar do mundo.

Atualmente, a Força Aérea da Índia e do Exército indiano operam helicópteros Cheetah e Dhruv feitos pela HAL, com carga parcial em condições extremas e com extremo cuidado em operações de toque e arremetida.

Notavelmente, a Sikorsky já assinou um acordo com a Tata para produzir helicópteros militares na Índia.

Walia apontou que levou apenas quatro anos para produzir a fuselagem do S-92, após o acordo inicial entre os dois grupos em 2007. A fuselagem do primeiro S-92 foi produzida em outubro de 2011 e enviado para os EUA.

Nenhum dos três funcionários da Sikorsky divulgou o custo de uma fuselagem, mas fontes da indústria disseram que, normalmente, isso deve ser em torno de 15 por cento da máquina concluída, dependendo dos sistemas e aviônicos.

A fabricação progressiva de componentes, como foi feito pela Tara, traria mais valor ao empreendimento indiano.

Fonte: IANS – Tradução: Cavok

http://www.cavok.com.br/blog/?p=53758

Enquanto isso por aqui só promessas!!! Detalhe, nós (ELEB/Embraer) já eramos parceiros no projeto e já gastamos uma boa grana comprando de prateleira helis da Sikorsky pelados, só por causa de uns descontinhos mixurucas...... e de lambuja uma reserva de mercado militar pra eles, negoção nós fizemos hein?! Ai eu pergunto, qual é a diferença do mercado indiano de Off-Shore para o nosso, será que é maior e mais importante? Sei não. E no meio militar, quantos helis a Sikorsky vendeu pra eles? Até aonde eu sei nenhum.

É por essas e outras que eu digo, a nível de política industrial a FAB passa longe!!! É ótima em pesquisa, desenvolvimento e na parte operacional, mas na parte de ToT e Off-Set e transformar isso em produção industrial parece que desaprendeu. Aff!!!

Até mais!!! :|


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Seg Ago 20, 2012 6:17 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Sex Ago 21, 2009 6:03 pm
Mensagens: 1324
Wellington Góes escreveu:
Citação:
Voa o primeiro helicóptero Sikorsky S-92 com uma fuselagem fabricada na Índia

Publicado em 20/08/2012 por Fernando Valduga em Brasil, Executiva, Helicópteros

Imagem
O primeiro helicóptero Sikorsky S-92 com uma fuselagem fabricada na Índia, realizou o primeiro voo, e será entregue para a Líder Aviação do Brasil após finalização da montagem nos EUA. (Foto: IANS)


O primeiro grande helicóptero bimotor Sikorsky S-92 – que pode ser usado tanto para fins civis como militares – com uma fuselagem fabricada na Índia, realizou seu primeiro voo e agora será enviado para a Líder Aviação do Brasil.


O Air Vice Marshal (reformado) Arvind Walia, executivo regional da Sikorsky para a Índia e Sul da Ásia, disse que a Tata forneceu 15 fuselagens para a empresa Sikorsky nos EUA, que está equipando elas com cockpits, motores , sistemas e rotores. Os helicópteros concluídos estão prontos para o fornecimento a clientes globais.

Os ensaios de voo no primeiro helicóptero S-92 com a fuselagem feita pela Tata tem progredido de forma satisfatória e o helicóptero está sendo customizado para ser entregue para a Líder Aviação do Brasil. A Líder freta tanto aeronaves como helicópteros para várias aplicações, incluindo manutenção de instalações de petróleo offshore.

Imagem
O helicóptero s-92 com fuselagem fabricada pela indiana Tata está agora realizando testes de voo nos EUA, antes de ser enviado para o Brasil. (Foto: IANS)

A Sikorsky e o grupo Tata já possuem uma joint venture numa parceria 26:74, a TARA, que fabrica e fornece cerca de 4.300 componentes para a Tata Advanced Systems Ltd. (TASL) em Hyderabad. A TASL, uma empresa do grupo Tata, faz com que estes componentes sejam encaixados nas fuselagens e depois envia tudo para a instalação da Sikorsky em Coatsville, na Pensilvânia.

Walia disse que TASL está fazendo a transformação das células de produção de baixa taxa inicial (LRIP) de duas por mês, mas deverá ser aumentada para três por mês, de acordo com a demanda até 2013.

A linha de produção possui um conceito de montagem em movimento e as células podem operar em qualquer parte do mundo, qualquer que seja o local que encomende os helicópteros.

Dois dos principais executivos da Sikorsky disseram que a empresa pretende desenvolver na Índia um hub para a fabricação nos próximos anos, dependendo dos requisitos indianos e internacionais.

Steve Estill, vice-presidente de Parcerias Estratégicas, e Bob Kokorda, vice-presidente de Vendas e Marketing, disse que, enquanto o S-92 é essencialmente um helicóptero civil, a Sikorsky também está aberta para a fabricação de helicópteros militares na Índia.

A oferta significativa apontada pela empresa é para desenvolver um helicóptero que possa operar em grandes altitude naa Índia, que poderia ser confortavelmente implantado em alturas acima de 20.000 pés para operações estratégicas e de logística.

A Índia tem os requisitos mais difíceis nos campos de batalha, como nenhum outro país no mundo, devido à altura da cadeia de montanhas do Himalaia, como em Siachen.

Ambos executivos, Kakorda e Estill disseram que a Sikorsky poderia realizar um trabalho de pesquisa e desenvolvimento para este empreendimento exclusivo ou em colaboração com uma empresa indiana HAL ou por conta própria, dependendo do interesse pelo governo indiano. A máquina proposta envolveria novas tecnologias e alto uso de materiais compósitos avançados.

Walia disse que ele já havia mencionado esta oferta a autoridades indianas nas discussões. “As especificações indianas são muito difíceis e as soluções que precisam de tecnologias de rotor e parâmetros de desempenho avançadas exclusivas”.

A idéia é desenvolver um helicóptero que pode realizar reconhecimento e operar em alturas como em Siachen com uma carga completa de carga ou tropas, uma capacidade que ainda não existe em qualquer lugar do mundo.

Atualmente, a Força Aérea da Índia e do Exército indiano operam helicópteros Cheetah e Dhruv feitos pela HAL, com carga parcial em condições extremas e com extremo cuidado em operações de toque e arremetida.

Notavelmente, a Sikorsky já assinou um acordo com a Tata para produzir helicópteros militares na Índia.

Walia apontou que levou apenas quatro anos para produzir a fuselagem do S-92, após o acordo inicial entre os dois grupos em 2007. A fuselagem do primeiro S-92 foi produzida em outubro de 2011 e enviado para os EUA.

Nenhum dos três funcionários da Sikorsky divulgou o custo de uma fuselagem, mas fontes da indústria disseram que, normalmente, isso deve ser em torno de 15 por cento da máquina concluída, dependendo dos sistemas e aviônicos.

A fabricação progressiva de componentes, como foi feito pela Tara, traria mais valor ao empreendimento indiano.

Fonte: IANS – Tradução: Cavok

http://www.cavok.com.br/blog/?p=53758

Enquanto isso por aqui só promessas!!! Detalhe, nós (ELEB/Embraer) já eramos parceiros no projeto e já gastamos uma boa grana comprando de prateleira helis da Sikorsky pelados, só por causa de uns descontinhos mixurucas...... e de lambuja uma reserva de mercado militar pra eles, negoção nós fizemos hein?! Ai eu pergunto, qual é a diferença do mercado indiano de Off-Shore para o nosso, será que é maior e mais importante? Sei não. E no meio militar, quantos helis a Sikorsky vendeu pra eles? Até aonde eu sei nenhum.

É por essas e outras que eu digo, a nível de política industrial a FAB passa longe!!! É ótima em pesquisa, desenvolvimento e na parte operacional, mas na parte de ToT e Off-Set e transformar isso em produção industrial parece que desaprendeu. Aff!!!

Até mais!!! :|


Alguém, por favor, comunique a moderação e diga que o perfil do Wellington Góes foi, muito provavelmente, raqueado. Defender helicópteros não-franceses de uma categoria mais ou menos parecida com o EC-725 não é do feitio dele como sabemos. Reitero ao pessoal que nunca forneça a senha ou qualquer informação pessoal a estranhos para que constragimentos deste gênero não voltem a acontecer.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Seg Ago 20, 2012 8:29 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Sex Jan 01, 2010 9:52 pm
Mensagens: 9235
Esta é a tendencia para baixar o preço de muitos projetos na aviação, P&D + construção de partes sensíveis nos países desenvolvidos e construção da fuselagem e alguns componentes nos países com mão de obra mais barata.

Os grandes fabricantes já descobriram a Índia, Indonésia, China, Malásia, Polônia, Romênia e Turquia.

Conforme o país emergente vai ganhando confiança das matrizes suas filiais(Polônia e Romênia) ou parceiras como a Tata(Índia) ou PT-DI(Indonésia) podem ganhar a montagem final.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Seg Ago 20, 2012 8:33 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Seg Jan 08, 2007 5:22 pm
Mensagens: 9197
Localização: Brasília - DF, Brasil
Fleming escreveu:

Alguém, por favor, comunique a moderação e diga que o perfil do Wellington Góes foi, muito provavelmente, raqueado. Defender helicópteros não-franceses de uma categoria mais ou menos parecida com o EC-725 não é do feitio dele como sabemos. Reitero ao pessoal que nunca forneça a senha ou qualquer informação pessoal a estranhos para que constragimentos deste gênero não voltem a acontecer.

:lol: :lol: :lol:

Fala sério!!!

Fleming, não tem nada haver de eu estar defendendo esse ou aquele país, é simplificar de mais o debate, a questão passa longe disso, mas se queres entender assim, paciência, já gastei tempo demais explicando. Mesmo assim a piada foi boa!!!

Até mais!!! :wink:


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Seg Ago 20, 2012 9:15 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Sex Ago 21, 2009 6:03 pm
Mensagens: 1324
Wellington Góes escreveu:
Fleming escreveu:

Alguém, por favor, comunique a moderação e diga que o perfil do Wellington Góes foi, muito provavelmente, raqueado. Defender helicópteros não-franceses de uma categoria mais ou menos parecida com o EC-725 não é do feitio dele como sabemos. Reitero ao pessoal que nunca forneça a senha ou qualquer informação pessoal a estranhos para que constragimentos deste gênero não voltem a acontecer.

:lol: :lol: :lol:

Fala sério!!!

Fleming, não tem nada haver de eu estar defendendo esse ou aquele país, é simplificar de mais o debate, a questão passa longe disso, mas se queres entender assim, paciência, já gastei tempo demais explicando. Mesmo assim a piada foi boa!!!

Até mais!!! :wink:


:lol:


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Seg Ago 20, 2012 9:40 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Nov 29, 2007 9:11 pm
Mensagens: 9903
Localização: Caxias do Sul - RS
Neste caso citado (na Índia) o acordo envolve apenas empresas privadas.

Este modelo da Sikorsky não foi comprado pelo governo (F. Aérea) indú.

Diferentemente dos modelos da Eurocópter, todos adquiridos por governos no Brasil, os quais sim, envolvem são só acordos de off-set, ToT e financiamento público, além do mais importante, reserva de mercado, pelo menos até o momento.



Sds.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Qui Mar 07, 2013 2:46 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Nov 29, 2007 9:11 pm
Mensagens: 9903
Localização: Caxias do Sul - RS
HELI-EXPO: Sikorsky fecha acordo de venda de 26 helicópteros S-76D com o Grupo Bristow

Publicado em 06/03/2013 por Fernando Valduga

Imagem
O Grupo Bristow fechou um pedido para até 26 helicópteros Sikorsky S-76D. (Foto: Sikorsky)

A Sikorsky Aircraft anunciou nessa terça-feira que firmou um acordo para venda de até 26 helicópteros S-76D para o Bristow Group, para executar a missão de transporte offshore para plataformas de petróleo. O S-76D é alimentado por compactos e leves motores PW210S da Pratt & Whitney Canada, que oferecem o melhor na relação potência-peso e queima de combustível da classe, com uma excelente carga útil e uma série de benefícios.


A Sikorsky e a Bristow marcaram o acordo com uma cerimônia de assinatura na Heli-Expo, em Las Vegas, Nevada, um dos maiores shows do setor no ano.

“Este acordo representa a introdução do helicóptero S-76D nas operações no Golfo do México e em outros fóruns internacionais ainda este ano, e também fortalece ainda mais a relação de mais de 40 anos entre o Grupo Bristow e a Sikorsky Aircraft”, disse o Presidente da Sikorsky Mick Maurer. “A Bristow tem mostrado a sua consideração com a segurança, liderança e compromisso com seus clientes em todo o mundo, buscando o mais recente equipamento estado-da-arte, e sua escolha do S-76D afirma o seu compromisso em oferecer o melhor valor para seus clientes.”

O presidente e CEO do Bristow Group, Bill Chiles disse que os helicópteros S-76D vão se juntar a frota mundial do Bristow, de mais de 500 aeronaves. “Sem dúvida, a intensiva missão de transporte offshore para plataforma de gás a petróleo requer uma aeronave confiável, que está pronta para trabalhar um cronograma agressivo e o S-76 tem continuamente comprovado nesse papel. O objetivo do Bristow é oferecer o mais seguro, eficiente e confiável serviço aos nossos clientes e estamos ansiosos para colocar os novos S-76D com seus recursos avançados nas nossas operações em todo o mundo.”

A Sikorsky espera começar a entrega dos helicópteros S-76D a partir deste ano.

Fonte : Cavok.

Sds.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Ter Abr 16, 2013 11:56 am 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Seg Jan 08, 2007 5:22 pm
Mensagens: 9197
Localização: Brasília - DF, Brasil
Citação:
Sikorsky Aerospace Services estabelece unidade de estoque estratégica no Brasil

Luiz Padilha, 16 de Abril de 2013, H-60 Blackhawk, MH-16 Seahawk, S-76

Imagem

A Sikorsky Aerospace Services (SAS) anunciou que armazenará peças de reposição no Brasil para apoiar clientes operando seus helicópteros S-76 e S-92 no País.

A Powerpack, representante tradicional da Sikorsky no Brasil, será a responsável pela administração das operações de estoque por meio do sistema alfandegário especial do País, conhecido como Depósito Especial (D.E.). É a primeira unidade de estoque estratégica da Sikorsky no País. O armazém está situado no centro do Rio de Janeiro, cidade que concentra 80% dos helicópteros Sikorsky em operação no Brasil. A SAS, que presta serviços pós-venda, é uma empresa da Sikorsky Aircraft Corp., subsidiária da United Technologies Corp. “Com a unidade de estoque local, podemos entregar peças em horas em vez de dias. Essa eficiência aumenta a disponibilidade da aeronave, além de reduzir os custos e as despesas do operador”, diz Steve Bohlman, Diretor de Serviços e Suporte Global da SAS.

Imagem

“A SAS está trabalhando para ampliar sua rede de atendimento no Brasil, de acordo com as necessidades da frota e para aumentar a disponibilidade operacional. Além disso, estamos buscando autorização para armazenar componentes para os helicópteros BLACK HAWK e SEA HAWK, para servir as aeronaves militares do Brasil.”

Utilizando o sistema de Depósito Especial, a Sikorsky consegue manter um estoque de peças em solo brasileiro. Essa capacidade reduz o prazo necessário para uma análise alfandegária mais profunda e processos de liberação para remessas padrão dos EUA. Alocando funcionários treinados pela Sikorsky, a Powerpack será responsável pelos serviços de armazenamento e logística da unidade. O estoque deve incluir peças de reposição e equipamentos para suporte em terra e para testes.

FONTE: defensa.com

http://www.defesaaereanaval.com.br/?p=17720


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Seg Ago 19, 2013 3:32 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Sex Abr 17, 2009 2:54 pm
Mensagens: 2245
Citação:
Sikorsky busca um parceiro para base industrial no Brasil
19 de agosto de 2013, em Indústria, Noticiário Nacional, por Alexandre Galante

Imagem

Virgínia Silveira

vinheta-clipping-aereoA fabricante americana de helicópteros Sikorsky pretende definir até o fim deste ano um parceiro no Brasil que a ajude a colocar em prática o projeto de industrialização dos seus helicópteros no país. O primeiro passo nessa direção está sendo dado com a criação da Sikorsky do Brasil, subsidiária que cuidará mais de perto da frota de 152 helicópteros em operação no país e da expansão dos negócios da marca na região.

O trem de pouso e o sistema de combustível do helicóptero S-92, biturbina para até 21 passageiros, já são fabricados no Brasil, pela Embraer – companhia brasileira de jatos regionais, quarta maior no mundo -, informou o diretor da Sikorsky no Brasil, Marcos de Souza Dantas. O relacionamento entre as duas fabricantes, segundo ele, teve início na década de 80, quando a Sikorsky transferiu para a Embraer a tecnologia de produção de materiais compostos, posteriormente aperfeiçoada e hoje utilizada nos aviões produzidos no Brasil.

“Para aumentar as nossas vendas num determinado mercado, procuramos trabalhar com fornecedores de qualidade. Com a Embraer temos ainda a chance de agregar conteúdo brasileiro aos nossos helicópteros”, disse o executivo. A Sikorsky, segundo ele, tem uma produção anual média de 20 helicópteros S-92.

Outra iniciativa da fabricante americana dentro da estratégia de aproximação com o Brasil é a parceria com o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) para a implantação de uma cadeira acadêmica de asas rotativas dentro do curso de graduação de Engenharia Aeronáutica. “Assinamos uma carta de intenção com o ITA para ajudá-los a desenvolver o curso”, comentou.

Para melhor atender a sua frota na região, a Sikorsky também acaba de investir US$ 5 milhões em um depósito alfandegado especial de peças na cidade do Rio de Janeiro. “Este número pode aumentar para US$ 15 milhões, mas isso vai depender da reação do mercado”, disse o executivo.

A maior parte dos helicópteros da Sikorsky no Brasil – cerca de 98 unidades – atua no apoio às operações offshore. Deste total, 76 helicópteros são do modelo S-92 e 22 do S-76. A Líder Aviação é a principal operadora dos helicópteros da Sikorsky no Brasil, com 54 aeronaves, entre os modelos S-92, S-76 e S-76 A.

A Sikorsky também tem uma presença importante nas Forças Armadas Brasileiras, com um total de 24 helicópteros, sendo quatro na Marinha, quatro no Exército e 16 na Aeronáutica.

As decisões de compra de novos helicópteros para as Forças Armadas, no contexto de programas como o Sisfron (Sistema Integrado de Proteção de Fronteiras) e Proteger (Sistema Integrado de Proteção de Estruturas Estratégicas Terrestres) também são aspectos importantes a serem levados em conta na estratégia de expansão dos negócios da Sikorsky no Brasil, ressaltou o diretor da empresa.

“Em fevereiro deste ano assinamos um contrato de suporte para os helicópteros da FAB”, comentou o executivo. O contrato, segundo ele, está avaliado em US$ 5 milhões. A empresa também renovou, recentemente, um contrato similar com o Exército, válido para um período de cinco anos e com valor entre US$ 6 milhões e US$ 10 milhões.

Dantas disse ainda que a Sikorsky tem a intenção de expandir a sua área de manutenção, reparo e assistência técnica no Brasil, onde existe um grande potencial para a venda de novos helicópteros. “Somente para a Petrobrás a expectativa é de que as vendas totalizem 40 unidades nos próximos cinco anos, entre modelos de médio e grande porte, principalmente para atuar em offshore”. O objetivo da fabricante americana, segundo ele, é capturar pelo menos 50% dessa fatia.

No mercado de transporte executivo, de acordo com Dantas, a Sikorsky entregou 15 aeronaves em 2012. Este ano as entregas somam sete helicópteros, mas o diretor pondera que esse segmento sofreu uma retração devido à alta do dólar, que encareceu o valor dos helicópteros.

A Sikorsky é uma das fabricantes internacionais que participaram na semana passada, em São Paulo, da feira de aviação Labace (Latin American Business Aviation Conference & Exhibition).

A companhia faz parte do grupo United Technologies Company (UTC), que também controla a Pratt & Whitney (fabricante de turbinas de avião) e da produtora de elevadores e escadas rolantes Otis. O faturamento global do grupo é superior a US$ 60 bilhões.

FONTE: Valor Econômico

http://www.aereo.jor.br/2013/08/19/siko ... no-brasil/

_________________
"Uma nação que confia em seus direitos, em vez de confiar em seus soldados, engana-se a si mesma e prepara a sua própria queda." (Rui Barbosa)


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Seg Set 23, 2013 10:49 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Nov 29, 2007 9:11 pm
Mensagens: 9903
Localização: Caxias do Sul - RS
Sikorsky S-97 Raider begins final assembly

Imagem

By Aaron Mehta
Military Technology

WASHINGTON — Sikorsky will begin final assembly of its S-97 Raider helicopter prototype this week, according to company officials.

That puts the helicopter manufacturer — which is competing for the Army’s Armed Aerial Scout program — on track for a first flight at the end of 2014.

“It’s just a really exciting foundational milestone for us, and it’s great to be leaving the design phase of Raider and getting into the build phase,” Chris Van Buiten, Sikorsky Innovations vice president, said.

The Raider is based on the X-2 technology developed by Sikorsky in the late 2000s, but grows the size and weight significantly. Where the X-2 demonstrator was a one-person, 5,000-pound platform, the Raider will be roughly 11,000 pounds with room for six troops in its combat assault mode. In reconnaissance mode, that space could be used for extra equipment or ammunition.

Despite that growth, Sikorsky executives are confident the design will bring a mix of speed and maneuverability that helicopters have not yet achieved.

“This thing has to fly faster than 220 knots” at cruising speed, Van Buiten said when asked about key performance targets. “It has got to do more than a 3G turn at speed. It has to demonstrate hover at 10,000 feet and 95 degrees. Those are the non-negotiables.”

Imagem

The fuselage, assembled by Aurora Flight Sciences in a West Virginia facility, arrived at Sikorsky’s West Palm Beach, Fla., facility Sept. 20. A composite airframe, the fuselage has been tested to tolerate bird strikes at 230 knots and has shown very low drag, according to the company.

The Armed Aerial Scout program aims to replace the Army’s fleet of OH-58 Kiowa Warriors, in use since the late 1960s. The winner of the program is expected to last well past 2050, meaning the competition would be a long-term windfall for the winner.

Army officials visited with competitors AgustaWestland, Boeing, EADS and Bell Helicopter during the summer of 2012, but the top acquisition adviser to the secretary of the Army told a congressional hearing in May that “we didn’t find a single aircraft that was out there that could meet the Army’s requirements.”

Sikorsky is confident is can fill that role — assuming the replacement program can get funding.

As with all programs in the Pentagon, the Armed Aerial Scout is facing budget challenges. Speaking Sept. 19 on the Hill, Army Chief of Staff Gen. Ray Odierno indicated the program is at risk if sequestration continues.

“In the event sequestration-level discretionary caps continue into FY14, we will assume significant risk in our combat vehicle development,” Odierno said. “In our aviation program, we cannot afford to procure a new Armed Aerial Scout program and we will be forced to reduce the production and modernization of 25 helicopters.”

Despite such warnings, Sikorsky remains confident the Army will find the money to fund the program, according to Steve Engebretson, the company’s Advanced Military Programs director.

“It’s a tough financial environment, but the fact Odierno highlighted this program reflects the level of importance the Army has in that mission,” he said. “To me, it’s at least a sign that if there is a way the Army can get that program going, they will find a way to do that.”

“We understand the climate we’re operating in,” added Van Buiten. “We’re committed to demonstrating this technology, but we understand the customer has a lot of priorities to balance. Our job is to open up the aperture of what’s possible with them.”

Both men can be sanguine, in part, because the development of the Raider has been entirely funded by Sikorsky and its industry partners. While the S-97 is being designed with Armed Aerial Scout in mind, it will also serve as a test bed for further X-2 technologies, which could then go onto future Sikorsky products. Additionally, the company sees the Raider as a demonstrator for a larger machine that would fit the Army’s Joint Multi-Role helicopter replacement program for the service’s Blackhawk fleet.

In other words, the company sees ways to recoup its investment in the prototype even if the program never comes through. That company investment is a point of pride for Van Buiten, whose team was responsible for the design and creation of the Raider.

“We’ve created this innovations group, and one of our charters is to demonstrate differentiating technology that creates competitive advantages for us or all new capability for our customers,” he said. “We don’t have the luxury of using traditional timelines and budgets to do it.”

If the project continues on target, the Raider prototype’s first flight will take place roughly 48 months after its clean-sheet design, a much faster pace than the defense industry normally sees. While costs are not set, the company has estimated it could produce the platform in production quantities for as little as $15 million a copy, including mission system packages.

There is also a potential international market for the technology through the Foreign Military Sales program. The company has been in contact with “several very close allies of the US” about the technology, Engebretson said.

While declining to name which countries might be interested, he said the “international interest roughly equals the quantities the U.S. government is thinking about, in the hundreds.”

Fonte: http://www.armytimes.com/article/201309 ... um=twitter

Sds.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Qui Set 26, 2013 4:53 pm 
Offline
Avançado
Avançado
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Ter Jun 04, 2013 5:33 pm
Mensagens: 798
IRADOOOOOOOO esse Sikorsky S-97 Raider!!!
não conhecia!

_________________
Att,
Flávio Nicoliche


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Ter Out 01, 2013 1:21 am 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Seg Jan 08, 2007 5:22 pm
Mensagens: 9197
Localização: Brasília - DF, Brasil
Citação:
Imagem

Sikorsky começa a montagem final do S-97 Raider

Publicado em 30/09/2013

Imagem

A Sikorsky iniciou a montagem final do seu protótipo S-97. O primeiro voo deverá ocorrer em 2014.

A empresa está planejando oferecer o Raider, um helicóptero de material composto e dotado de fly-by-wire e co-axial, para a concorrência do Exército dos EUA, concorrendo contra o Boeing AH-6 Little Bird, MDHI MD 540F, EADS AAS-72X+, Bell OH-58F Block II, AgustaWestland AW109 e o AVX, uma adaptação do helicóptero OH-58D.

O objetivo da competição é encontrar uma aeronave para substituir o envelhecido Bell OH-58D Kiowa do Exército, embora oficiais do exército disseram que a concorrência pode estar em perigo se os cortes orçamentais continuarem.

No entanto, a Sikorsky continua investindo no seu Raider, que oferece uma variedade de tecnologias extraídas do demonstrador de tecnologia, o X2, da empresa.

A fuselagem do Raider é de material composto. Ela foi desenvolvida pela Aurora Flight Sciences, um dos 36 parceiros da indústria sobre o programa Raider Sikorsky-led. A fuselagem é composta de um cockpit integrado, cabine, e cone de cauda.

Imagem

O protótipo do Raider apresenta contra-rotação das pás do rotor principal para sustentação e ir para frente, e uma hélice propulsora para a aceleração de alta velocidade e desaceleração.

Imagem
A Sikorsky planeja ir mais longe com seu S-97…

A Sikorsky testou primeiro o projeto co-axial em 2010, com o demonstrador X2 e o helicóptero demonstrou uma velocidade de 250 kt em voo, que é cerca de duas vezes maior que os helicópteros convencionais. O X2 também proporcionou uma oportunidade para desenvolver a tecnologia para baixa assinatura acústica, de acordo com a Sikorsky.

A empresa disse que o seu protótipo Raider vai demonstrar uma capacidade de realizar manobras de precisão em baixa velocidade, bem como as manobras de alto G.

FONTE: Jane´s – Tradução: CAVOK

http://www.cavok.com.br/blog/?p=72570


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Ter Out 01, 2013 4:58 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Nov 29, 2007 9:11 pm
Mensagens: 9903
Localização: Caxias do Sul - RS
Os russos não querem ficar para trás.....

Russian Helicopters JSC is developing a 5th generation stealth helicopter.

- Projetos da OKB Mil

Imagem
Imagem


- Projetos da OKB Kamov

Imagem
Imagem
Imagem
Imagem

Não são, ainda, conhecidos os requisitos previstos, mas especula-se:

- Baixo peso;
- Baixa emissão de ruídos;
- Baixa observabilidade;
- Dois pilotos (possivelmente em tandem);
- Long range;
- Intelligent weapon control system;
- Sistemas de análise de solo para trilhas de passagem de veículos ou tropas;
- Velocidade max. de 500 Km/h;
- Inteligência artificial;

OBS: Mil and Kamov have two different versions of it: Mil is proposing an one-rotor craft while Kamov a two-rotor version.

Fonte: MilitaryPhotos por "thounaojamtom"

Sds.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Sex Fev 21, 2014 5:21 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Seg Jan 08, 2007 5:22 pm
Mensagens: 9197
Localização: Brasília - DF, Brasil
Citação:
Imagem

21 de fevereiro de 2014

Bota pra rodar!

COMEÇAM OS TESTES COM A CABEÇA DO ROTOR PRINCIPAL DO PRIMEIRO PROTÓTIPO DO HELICÓPTERO PESADO CH-53K, O SUCESSOR DA FAMÍLIA SEA STALLION/SUPER STALLION

Imagem

A Sikorsky Aircraft Corp, uma subsidiária da United Technologies Corp, ligou os motores e girou a cabeça do rotor principal do primeiro protótipo do helicóptero pesado CH-53K – designado Ground Test Vehicle (GTV). O evento ocorrido no dia 24 de janeiro é parte da fase de testes “Bare Head Light Off” – assim chamado porque foi realizado sem as pás do rotor – que começou com uma unidade de força auxiliar em dezembro, com os pilotos de testes nos controles da aeronave.

“O teste com os motores principais em funcionamento do GTV é um passo significativo para o programa helicóptero CH-53K”, disse Mike Torok, vice-presidente do programa CH- 53K da Sikorsky”. Tendo testado independentemente muitos componentes e subsistemas da aeronave, incluindo elétrica e aviônicos, hidráulica e controles de voo, trem de pouso, propulsão, transmissão e rotores, agora começaram a testar estas funções críticas como todo um sistema alimentado por três motores GE de 7500 shp”.

A Sikorsky entregou o GTV para o programa de testes no final de 2012. A aeronave GTV, de 44.000 libras, está equipada com mais de 1.300 pontos com sensores que irão medir e verificar a capacidade de operar com segurança pelos seus próprios meios. A GTV passará por testes em solo por cerca de dois anos com pilotos de teste da Sikorsky e dos Fuzileiros Navais nos controles.

Assim que o teste do cubo for concluído, a Sikorsky montará as sete pás do rotor principal e as quatro pás do rotor de cauda do GTV. Durante esta segunda fase de testes, a Sikorsky realizará extensas verificações dos sistemas de aeronaves que levarão ao teste de aceitação pré-voo, necessário para a liberação do primeiro voo da aeronave.

Quatro aeronaves de teste adicionais estão sendo preparadas para ensaios em voo, com início no final de 2014. Durante o programa de ensaios em voo de três anos a Sikorsky continuará a avaliar o GTV para a resistência a longo prazo dos motores e componentes dinâmicos, capacidade de sobrevivência e práticas de manutenção.

A Sikorsky lidera a equipe de desenvolvimento do helicóptero pesado CH-53K para o USMC. Com peso máximo de 88.000 libras (39.916 kg), a aeronave foi projetada para triplicar a capacidade de carga externa do CH-53E Super Stallion para mais de 27.000 libras ao longo de um raio de missão de 110 milhas náuticas em condições ambientais “altas e quentes”. O USMC espera receber 200 aeronaves CH-53K e atingir a capacidade operacional inicial em 2019.

FONTE/FOTO: Sikorsky (tradução e edição do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

http://www.aereo.jor.br/2014/02/21/bota-pra-rodar/


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Sikorsky
MensagemEnviado: Sáb Fev 22, 2014 9:10 am 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qua Dez 05, 2007 2:02 pm
Mensagens: 9157
Citação:
Turkey signs $3.5 billion deal for Sikorsky helicopters

ISTANBUL Fri Feb 21, 2014 5:51pm EST

(Reuters) - Turkey signed a deal worth $3.5 billion on Friday to buy helicopters from United Technologies Corp's (UTX.N) Sikorsky Aircraft unit, finalizing an order originally agreed upon in 2011, said the prime minister.

The agreement includes options that analysts say could result in billions of dollars of additional orders over the next three decades.

The 109 helicopters will be assembled in Turkey and a version of Sikorsky's popular Black Hawk. The main contractor is Turkish Aerospace Industries with components to be supplied by Sikorsky, Aselsan (ASELS.IS) and other Turkish companies.

Sikorsky said the deal marked the start of an important partnership with Turkish industry.

"Turkey is such an important market in terms of being a large customer, and it is also strategically important in terms of who they are in the world," Sikorsky President Mick Maurer said in a telephone interview.

He said the agreement would allow Turkish industry to develop the capability to produce nearly every part of the helicopter, including a newly designed Turkish cockpit.

Maurer declined to give many details about the new agreement, but said it would give his company a second source for many of the helicopter's components.

He said Sikorsky had already agreed with Turkey to market the Turkish version of the Black Hawk in other markets, helping Sikorsky benefit from Turkey's existing relationships in those areas and generating additional orders for Turkish suppliers.

"We're going out arm in arm, as we bring in other sales outside of Turkey that will be supplied by the new supply chain," Maurer said.

Sam Mehta, president of Sikorsky's Defense Systems and Services division, said the deal marked the start of a 30-year relationship, and included options for a wide range of Turkish government agencies to buy versions of the helicopter.

It also opened opportunities for servicing and repairing the helicopters, he said.

(Reporting by Seda Sezer in Turkey and Andrea Shalal in Huntsville, Alabama; Editing by Nick Tattersall and Lisa Shumaker)

http://www.reuters.com/article/2014/02/21/us-turkey-sikorsky-idUSBREA1K22820140221

_________________
Abraços.

Imagem


Não alimente os trolls------------Don't feed the trolls---------------インタネット荒らしを無視しろ


Voltar ao topo
 
Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ Array ]  Ir para página 1, 2  Próximo

Todos os horários são


Quem está online


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido
Enviar anexos: Proibido

Ir para:  
Powered by phpBB © 2000, 2002, 2005, 2007 phpBB Group  
Design By Poker Bandits  
Traduzido por: Suporte phpBB Brasil