Forum Base Militar Web Magazine

Bem-vindo: Qui Out 24, 2019 3:12 am

Todos os horários são




Criar novo tópico Responder  [ Array ]  Ir para página Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Próximo
Autor Mensagem
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Qui Mai 21, 2009 9:14 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Nov 29, 2007 9:11 pm
Mensagens: 9903
Localização: Caxias do Sul - RS
MORTADELA escreveu:
Olhando no site sistemas de armas na seção notícias de Maio/2009, ( http://sistemasdearmas.blogspot.com/ ) tem um pequeno texto sobre esse armamento, e também diz que já foi vendido para alguns países. Alguém tem notícias sobre isto ??

Não sei as fontes desse site, apenas li.

Tomara que não seja o mesmo pessoal de marketing da Avibrás, senão aparecerá fotos da bomba acopladas em jatos de diversos países e nada de concreto, somente folders de propaganda.


abraço.


Pois é,
Cita textualmente : "as empresas citam que já foi vendida para outro país da América do Sul e pelo menos quatro no oriente médio."
Mas não há notícias ou fontes para confirmação...... até agora.

Sds.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Sáb Jan 23, 2010 1:58 am 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qua Dez 05, 2007 2:02 pm
Mensagens: 9157
Citação:
Imagem
Brazil still pondering second joint missile project with SA
|
By: Keith Campbell
22nd January 2010

The Brazilian Navy remains interested in South Africa's Umkhonto naval surface-to-air missile (SAM), in particular in proposed longer-range versions.

The Umkhonto – the name translates into English as Spear – is a product of Denel Dynamics, and is in service with the South African Navy and the Finnish Navy. Denel Dynamics is a subsidiary of the State-owned Denel defence industrial group.

The Umkhonto is an infrared (IR) homing missile, and the Denel Dynamics public brochure for it states "Range: 12 000 m", and gives a ceiling of 8 000 m. This first version of the SAM is sometimes referred to as the Umkhonto-IR.

The Brazilian Navy is known to be seeking a SAM with a range of more than 30 km but less than 50 km. (Truly long-range SAMs have a range greater than 50 km - for example, the American RIM-67C Standard SM-2 has a reported range of 40 nautical miles, or some 76 km, while the RIM-67B Standard SM-2 ER version can reach 75 nautical miles, or about 142 km).

There is a project to develop a version of the Umkhonto-IR with greater range, referred to as the Umkhonto-ER, with the suffix letters standing for extended range. This would also be an IR-homing weapon. And there is also a longer-term project to develop a yet longer-ranged version, designated the Umkhonto-R, which will be a radar-homing SAM (beyond a certain range, IR-homing becomes impractical for SAMs). This will require the development of a radar seeker head, which means that the Umkhonto-R will require a significant development process.

The engagement sequence for the Umkhonto-R would most likely be as follows: after target detection and missile launch, the SAM would be steered towards the target by commands from the warship, activating its radar seeker when within range, locking on to, and then intercepting, the target.

In contrast, the engagement sequence for the Umkhonto-IR is (and for the Umkhonto-ER would be): the warship detects a target on its acquisition radar and launches the missile against it; the SAM uses its on-board inertial navigation subsystem to fly itself to a "lock-on point" - the location at which its IR seeker can acquire the target and lock on to it - and then guide itself to interception.

No ranges have been given for the Umkhonto-ER, while various ranges have been suggested by various sources for the Umkhonto-R: 20 km, 25 km and 30 km. It will have to be a bigger weapon than the Umkhonto-IR in order to achieve any of these ranges.

It is believed that the South African Department of Defence is providing funding for the Umkhonto-R project, but not enough to allow a purely national development of the programme within a reasonable time. So Denel is apparently seeking for overseas partners to join the programme and, back in 2008, Engineering News reported that the group had proposed to the Brazilian Navy that it cooperate with in the development of the Umkhonto-R. This would follow the precedent set by the current cooperation between Denel Dynamics and the Brazilian Air Force in the development of the A-Darter air-to-air missile.

Late last year a Brazilian Admiral visited Denel Dynamics for discussions about the Umkhonto programme. Brazil has a programme to acquire large frigates, each of which would displace about 6 000 t (South Africa's new Valour-class frigates each displace about 3 600 t), which would be armed with the longer-ranged SAMs the Brazilian Navy desires.
Cooperating with Denel Dynamics in developing the Umkhonto-R would provide an opportunity for the Brazilians to gain expertise in the design and development of radar-homing technology.

However, there is apparently a problem regarding timescales. The Brazilian Navy hopes to order its new frigates later this year or (more likely) next year or (at the latest) in 2012. This would mean that they would be commissioned into service by 2017 at the latest. However, it seems that Denel Dynamics told the Brazilian Admiral that it would take ten years to jointly develop the Umkhonto-R, giving the long-range SAM an in-service date of 2020.

That leaves the question of whether or not the IR-homing Umkhonto-ER could be made to reach the range the Brazilians desire. Although it might need to be fitted with a second stage to do this, it would not need the development of a new seeker head, and so its development period should be considerably shorter than that for the Umkhonto-R. This would also open the possibility of Brazil adopting the Umkhonto-ER as a first step and then later switching to a jointly-developed Umkhonto-R.

Highlights
Brazilian Navy needs longer-ranged SAMs for planned large frigates
New versions of SA's Umkhonto SAM under consideration
Edited by: Martin Zhuwakinyu
http://www.engineeringnews.co.za/article/brazil-still-pondering-possibility-of-a-second-joint-development-project-with-sa-2010-01-22

_________________
Abraços.

Imagem


Não alimente os trolls------------Don't feed the trolls---------------インタネット荒らしを無視しろ


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Dom Mar 07, 2010 8:26 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qua Dez 05, 2007 2:02 pm
Mensagens: 9157
Citação:
sábado 6 de marzo de 2010
La Armada de Brasil adquiere misiles anticarro MSS 1.2 a Mectron por U$S 12,1 millones
Colaboración de nuestro amigo Jorge Lucio
Imagem
La Armada de Brasil ha adquirido a la empresa Mectron un lote de misiles anticarro MSS 1.2 por 21,7 millones de reales (unos 12,1 millones de dólares) en una adjudicación negociada sin publicidad. Este es el segundo contrato de este tipo, ya que el Ejército de Tierra brasileño ya adquirió otro lote el año pasado por 25 millones de reales (14 millones de dólares).
Según el diario Oficial de la Unión, la Dirección de Sistemas de Armadas de la Marina de Brasil adquirió en octubre un número indeterminado de sistemas MSS 1.2 AC, el mismo modelo que compró en noviembre de 2008 el Ejército Brasileño (EB) aunque en este caso en mayores cantidades. Según algunos expertos, el precio de una unidad de tiro y un misil podría rondar los 30.000 dólares. La Marina de Brasil cuenta actualmente con misiles BILL 2 operados por su Infantería de Marina. Fabricados por Suecia, estos misiles superarán su vida útil en tres años.

El MSS 1.2 es un sistema de arma antitanque -puesto de tiro y misil- desarrollado por la empresa brasileña Mectron para el combate a medianas distancias. Es un sistema liviano, que puede ser instalado y retirado de posición de forma rápida y fácil. Tiene un alcance máximo de 3 kilómetros y puede ser disparado contra objetivos a 500 metros. El lanzador cuenta con ópticas de 7x para la puntería y tiene un peso de 27.8 kg. El misil tiene 130 mm de calibre, peso de 24.1 kg y una vida útil de 10 años.
Su desarrollo comenzó en 1986 con ayuda italiana pero más tarde fue cancelado. En 1998 Mectron reinició el desarrollo el cual fue finalizado en el año 2007. El misil MSS 1.2 utiliza una técnica denominada beam-rider (seguidor de haz, en la cual el misil es guiado en dirección al blanco por un láser proyectado en el espacio por la unidad de tiro. Para tanto, esta unidad posee dos sistemas ópticos: la óptica de apunte, a través de la cual el tirador realiza la mira y cuya configuración es semejante a la de un periscopio, y la óptica de láser, cuya función es proyectar en el espacio un rayo láser modulado, que guía el misil al largo de toda su trayectoria.
Imagem
La larga historia del programa MSS 1.2AC se remonta a 1986 cuando el Ejército Brasileño convoca un concurso internacional para sustituir los misiles AT Cobra con un misil de nueva generación que debía ser fabricado en Brasil. Al final, se concede el contrato a la empresa italiana Oto-Melara por considera como mejor su propuesta MAF (Missile Anti-carro della Fanteria) que contemplaba el desarrollado en dos versiones, una de infantería (alcance 2,5 km) y otra para helicópteros (4,5 km).

El MAF hasta entonces era un desarrollo privado de varías empresas italianas, además de la Oto-Melara también participaban Galileo (Sistema de Guiagem), Breda (Unidad de tiro) y SNIA-BPD (Motor-Cohete y Ojiva). Brasil entró como socio para la finalización y producción del MAF. El acuerdo también preveía que Engesa sería responsable por la comercialización del MSS 1.2 en América Latina y Caribe Como el interés del EB era sólo para un misil de infantería, el MAF fue renombrado como MSS 1.2 AC (Misil Suelo-Suelo 1.2 Anti-Coche).

Posteriormente y por dificultades económicas, el Gobierno italiano decidió escoger el TOW-2 para armar los helicópteros Mangusta y el Milán para las tropas de infantería, y quedó cancelado el programa MAF de Oto-Melara. Ante esta circunstancia, el desarrollo en Brasil quedó bajo responsabilidad de Engemíssil (subsidiaria la Engesa que también desarrollaba misiles balísticos) y SCT (Secretaría de Ciencia y Tecnología)/CTEx (Centro Tecnológico del Ejército). En 1987, el proyecto fue traspasado a la empresa Órbita, una compañía formada por Engesa y Embraer, y comenzaron los primeros ensayos. Sin embargo, la crisis económica ralentizó los trabajos y forzó que Órbita fuera absorbida por el CTEX.

En 1991, la empresa Mectron, que había constituida ese año, recibió el contrato para el desarrollo el desarrollo del simulador del MSS 1.2. En 1993, el EB decidió terminar el contrato con Oto-Melara y quedarse con todos los derechos sobre el MSS 1.2 AC, así como una unidad de tiro y diez misiles. Tras varias modificaciones y mejoras, EB encargó a Mectron en 1994 la fabricación de una serie de 40 misiles pero los técnicos brasileños deciden rediseñar el producto por estimar que se había quedado obsoleto tanto en diseño como en tecnología.

Finalmente, en 2002, se iniciaron las pruebas reales con el nuevo misil y aún se necesitaron tres años hasta que el Ejército Brasileño firmara un primer contrato para la primera pre serie de misiles que fueron homologados a principios de 2006. En pruebas realizadas por el Ejército, el misil fue capaz de alcanzar precisión de 50 cm para un blanco a 2000m, en desfile transversal la 50 km/h. Para blancos parados, el alcance llega la 3000m, con precisión inferior a 30 cm.

Creada en febrero de 1991 en la Ciudad de São José dos Campos, Mectron es producto de un grupo de ingenieros de empresas e instituciones de tecnología del sector aeroespacial que factura más de 20 millones de dólares en 2007. Actualmente es proveedor de referencia de las Fuerzas Armadas brasileñas y en el exterior. El primer programa de importancia lo firmó con la Marina Brasileña en el marco del programa ModFrag (Programa de Modernización de las Fragatas Niteróis) y, concretamente, para definir los requisitos de sistemas antiaéreos de estos buques. A fin de seleccionar la mejor configuración, desarrolló un software capaz de representar con realismo el escenario de combate y todas las variantes probables, desde la detección de los blancos hasta la neutralización de la amenaza.

En diciembre de 1993, la Fuerza Aérea Brasileña le encargo el diseño del misil aire-aire de corto alance Piraña (MAA 1). Su sistema de detección de blanco opera a través de radiación infrarroja emitida por el blanco (salida del turborreactor o calentamiento cinético de la estructura) lo que posibilita el empleo "fire and forget" (dispare y olvide). Posteriormente, desarrollo otro misil más moderno, el MAA 1-B, considerado de cuarta generación intermedio capaz de discriminación entre blancos y bengalas. En 1997, Mectron ganó un concurso oficial para el desarrollo el misil AT MSS 1.2 y su unidad de tiro. Posteriormente, también desarrolló su simulador de tiro.

En marzo de 2000, fue contratada para el desarrollo y fabricación del radar SCP-01 para los aviones AMX y más tarde para la modernizado los misiles SideWinder AIM-9H adquiridos por Brasil a Kuwait y que estaban fuera del plazo de validez. Más recientemente, en febrero de 2008, la empresa vendió cien misiles MAR-1 a Pakistán por 108 millones de dólares con apoyo del Ministerio de Defensa.

_________________
Abraços.

Imagem


Não alimente os trolls------------Don't feed the trolls---------------インタネット荒らしを無視しろ


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Dom Mar 07, 2010 10:04 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Sex Jul 24, 2009 2:12 pm
Mensagens: 2411
Localização: Brasília
akivrx78 escreveu:
Citação:
sábado 6 de marzo de 2010
La Armada de Brasil adquiere misiles anticarro MSS 1.2 a Mectron por U$S 12,1 millones


Esse míssil poderia ser o nosso hellfire?

_________________
"As leis que proibem o porte de armas... desarmam somente aqueles que não estão nem dispostos nem determinados a cometer crimes." - Cesare Beccaria


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Seg Mar 08, 2010 7:05 pm 
Offline
Recente
Recente
 Perfil

Registrado em: Sex Out 23, 2009 1:30 pm
Mensagens: 82
Uma versão ar-terra seria ótimo! Se utilizado por helicópteros seria ótimo para as três forças!


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Ter Mar 09, 2010 12:05 am 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Seg Jan 08, 2007 5:22 pm
Mensagens: 9197
Localização: Brasília - DF, Brasil
GuiAmaral escreveu:
Uma versão ar-terra seria ótimo! Se utilizado por helicópteros seria ótimo para as três forças!

Já está em estudo preliminar pelo EB uma versão ar-solo, vamos esperar pra ver.

Até mais!!! :wink:


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Qua Mar 10, 2010 6:58 pm 
Offline
Avançado
Avançado
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Sáb Out 25, 2008 11:18 pm
Mensagens: 635
Localização: Minas Geraisl
Isso ai é um Troller?

_________________
"'Nunca se justifique. Os amigos não precisam disto e os inimigos não irão acreditar"


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Qua Mar 10, 2010 9:40 pm 
Offline
Intermediário
Intermediário
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Ter Nov 18, 2008 1:57 pm
Mensagens: 263
Localização: Espírito Santo
prp escreveu:
Isso ai é um Troller?


É. Só não sei se o Exército comprou. Tenho a impressão que não, por ser de fibra. Não tem nenhuma identificação neste da foto aí de cima. Pode ser da Mectron, ou arranjaram um para divulgação apenas.

http://jipemania.com/newsd/0403/troller-t4-m.htm

Note que a notícia é divulgação do Troller de 2003.

_________________
Saudações,
Luciano.

_________________________
There's a sign on the wall, but she wants to be sure
"Cause you know sometimes words have two meanings"


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Qua Mar 10, 2010 9:46 pm 
Offline
Intermediário
Intermediário
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Ter Nov 18, 2008 1:57 pm
Mensagens: 263
Localização: Espírito Santo
tem ele aqui também, notícia de 2005 dizendo que foi homologado como VTNE:
http://quatrorodas.abril.com.br/carros/ ... 3120.shtml

_________________
Saudações,
Luciano.

_________________________
There's a sign on the wall, but she wants to be sure
"Cause you know sometimes words have two meanings"


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Qui Abr 29, 2010 11:20 pm 
Offline
Avançado
Avançado
 Perfil

Registrado em: Qui Jun 07, 2007 11:45 am
Mensagens: 776
Localização: Rio de janeiro
Prezados,

Não é uma ferramenta de sapa nacional. É chinesa. Mas pode ser copiada. É genial!!!

http://www.youtube.com/watch?v=HFMaWhse ... sponse_rev

1 abraço


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Sex Abr 30, 2010 2:33 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Sex Abr 17, 2009 2:54 pm
Mensagens: 2245
A revista asas tem uma materia com a AVEx e um missil MAs 5.2? alguém já ouviu falar desse missil?

_________________
"Uma nação que confia em seus direitos, em vez de confiar em seus soldados, engana-se a si mesma e prepara a sua própria queda." (Rui Barbosa)


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Qua Fev 22, 2012 10:53 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Sex Ago 21, 2009 6:03 pm
Mensagens: 1324
Ressuscitando o tópico:
Citação:
MAA-1B – noticia atrasada

Imagem

Uma nota na Air International de janeiro de 2012 cita que o Paquistão pretende comprar o MAA-1B da Mectrom para equipar seus caças JF-17. Cita que já compraram o modelo MAA-1A em 2010 e agora querem comprar 100 mísseis MAA-1B por US$ 108 milhões. O míssil está planejado para entrar em serviço na FAB em 2012.

Disponível em: http://www.aereo.jor.br/2012/02/22/maa-1b-noticia-atrasada/


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Qui Mar 29, 2012 10:21 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qua Dez 05, 2007 2:02 pm
Mensagens: 9157
Citação:
Brazilian Air Force signs areospace, defence MoU with CSIR

By: Keith Campbell
30th March 2012
A delegation of high-ranking officers of the Brazilian Air Force (Força Aérea Brasileira – FAB) visited South Africa from March 5 to March 9, both to inspect pro- gress with the A-Darter project and to sign a memorandum of understanding (MoU) with the Council for Scientific and Industrial Research (CSIR). However, the FAB only revealed that the visit had taken place a week later. The A-Darter is a fifth-generation infra-red homing air-to-air missile being developed jointly by South Africa and Brazil, with Denel Dynamics being the lead company on the programme.

The delegation was led by the director-general of the FAB’s Aerospace Science and Technology Department (abbreviated to DCTA in Portuguese), Air Lieutenant Brigadier (equivalent to full general) Ailton dos Santos Pohlmann and included the chief of the technical subdepartment of the DCTA, Air Brigadier (confusingly, equivalent to Major-General) Wander Almodóvar Golfetto and the chief of the defence subdirectorate of the Aeronautics and Space Institute (which is subordinated to the DCTA) Aviator Lieutenant Colonel Marcelo Franchitto.

The MoU, which is between the DCTA and the CSIR, strengthens relations between the two agencies and covers research and development cooperation in a number of areas relevant to aerospace and defence programmes. The main fields identified for cooperation are modelling methods in the infrared, infrared signature ‘methods/measures’ and applications, sensor calibration for test flights, spectral signature ‘methods/measures’ and standardisation methodology, aeroelasticity analysis, hyper-spectral and synthetic aperture radar proces-sing, cooperation in the calibration and validation of reference ‘targets’, training in geographic information systems, training in satellite sensor calibration and training, workshops and academic courses.

Lt Col Franchitto highlighted that the MoU was the result of almost six years of contacts between researchers in both institutions, which had resulted in the identification of common research areas and mutual benefits of cooperation. The MoU means that researchers on both sides now have the authorisation to develop detailed cooperation projects in the designated areas.

Regarding the A-Darter, the Brazilian delegation held meetings with South African Air Force generals from the Department of Defence’s (DoD’s) Directorate Air Force Acquisition and with high-ranking officials from defence acquisition and research and development agency Armscor. This allowed the Brazilians to be briefed in the DoD’s project management methodology and its military product life cycle analyses.

In addition, the FAB officers visited Denel Dynamics to inspect the work being done by the joint South African/Brazilian teams working at the company. The delegation, of course, also met with the Monitoring and Control Group – South Africa, which is the FAB element which oversees the Brazilian participation on the A-Darter. In addition to FAB personnel, the Brazilian contingent assigned to Denel Dynamics includes civilian employees of private-sector defence companies Mectraon, Avibrás and Opto Eletrônica.

The mission of the DCTA is to increase knowledge and develop scientific and tech-nological solutions to strengthen air power for both national defence and the development of Brazilian society. It does so by means of education, research and development, innovation and specialised tech-nical service within the sphere of aerospace.

Subordinate to the DCTA are, in addition to the Aeronautics and Space Institute, the Aeronautical Technology Institute, the Advanced Studies Institute, the Research and Flight Test Institute, the Industrial Develop-ment and Coordination Institute, the Alcântara Launch Centre, the Barreira do Inferno Launch Centre, the Coordinating Commission for the Combat Aircraft Programme (under which the A-Darter programme falls), the São José dos Campos Aeronautical Prefecture, the São José dos Campos Infrastructure and Support Group and the São José dos Campos Reserve Aero-nautical Officers Preparedness Centre. (São José dos Campos, in São Paulo state, is Brazil’s ‘aerospace city’.)

http://www.engineeringnews.co.za/article/memorandum-of-understanding-signed-between-the-brazilian-air-force-and-the-csir-2012-03-30

_________________
Abraços.

Imagem


Não alimente os trolls------------Don't feed the trolls---------------インタネット荒らしを無視しろ


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Sex Mai 04, 2012 12:01 am 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qua Dez 05, 2007 2:02 pm
Mensagens: 9157
Citação:
quinta-feira, 3 de maio de 2012
míssil antinavio Exocet MM40 com motor de fabricação brasileira
Imagem

Estivemos hoje na coletiva de imprensa realizada pela Marinha do Brasil, MBDA e Avibras realizada no Rio de Janeiro. O evento contou com a presença de Patrick de La Revelière, vice-presidente de vendas para a América Latina da MBDA, do vice-almirante (Ref) Ronaldo Fiuza de Castro, Gerente de Programa de mísseis superfície-superfície da MB e de Sami Youssef Hassuani, presidente da Avibras.
Durante a coletiva foi revelado que o primeiro míssil antinavio Exocet MM40 com motor de fabricação brasileira foi disparado com sucesso no dia 18 de abril de 2012, pela corveta Barroso (V34), também de construção nacional.
Foram feitas apresentações pelos representantes da MB, MBDA e Avibras sobre o desenvolvimento do motor nacional do míssil e a cooperação francesa no programa.
O vice-almirante Fiuza discorreu sobre a decisão da Marinha de nacionalizar a propulsão dos mísseis Exocet de seu inventário, pois o motor é perecível com o passar do tempo e a MBDA já descontinuou a produção desses mísseis, já que produz versões mais modernas com outro tipo de propulsão.
Segundo o almirante, “quem produz o motor foguete pode pensar em desenvolver seus próprios mísseis”.
A MB solicitou à MBDA a cooperação para o projeto de uma nova propulsão e esta escolheu como parceiro brasileiro a Avibras, que já tinha vasta experiência na produção de foguetes.
Foi destacado que o novo motor não é produto de engenharia reversa: ele foi desenvolvido do zero seguindo as especificações fornecidas pela MBDA. É a primeira vez que a MBDA ajuda uma empresa estrangeira num projeto desse tipo.
Engenheiros da MBDA cooperaram com os engenheiros da Avibras no projeto e fabricação do novo motor. Cerca de 300 engenheiros e técnicos da Avibras trabalharam durante 2 anos em tempo integral na produção e certificação do motor.
Foram feitas de 30 a 40 certificações com o motor funcionando em bancada de testes e no dia 18 de abril foi feito o primeiro lançamento a partir de um navio.
Os mísseis da MB deverão ser todos remotorizados até o final de 2013. Até lá, também será possível estabelecer a vida útil dos motores que estão sendo testados pelo método de envelhecimento acelerado.
Os resultados obtidos nos testes foram melhores do que o esperado, com o motor superando as características do motor original. O tempo de queima do “sustainer” (o motor que leva o míssil até o alvo, depois da queima do “booster”, que faz a primeira impulsão) chegou a 270 segundos. O motor original tem tempo de queima de 240 segundos.
O míssil lançado pela corveta Barroso no dia 18 de abril foi disparado contra um alvo no limite do alcance, a uma distância de 38 milhas (70km).
Patrick de La Revelière salientou a importância da Mectron no processo de validação do primeiro lançamento. A empresa forneceu o equipamento de telemetria instalado no míssil que permitiu a coleta dos parâmetros do motor durante o voo até o alvo.
A Marinha do Brasil espera agora poder atender a demanda de clientes internacionais que utilizam centenas de mísseis MM40 das primeiras versões. Os mísseis AM39 lançados de helicópteros também terão seus motores substituídos e será feita a integração com os helicópteros EC725.
A MBDA, por sua vez, tem grande interesse em cooperar com o Brasil, de olho nas futuras aquisições de mísseis Exocet SM39 para os submarinos SBR e também de mísseis Aster para as futuras fragatas do Prosuper. Segundo Patrick de La Revelière, a cooperação com a Avibras pode ser vista como uma espécie de antecipação de “off-sets”.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=yQ5HoJQZBzc


SEGURANÇA NACIONAL..PODER NAVAL
http://jardimgrandearora.blogspot.jp/2012/05/missil-antinavio-exocet-mm40-com-motor.html

_________________
Abraços.

Imagem


Não alimente os trolls------------Don't feed the trolls---------------インタネット荒らしを無視しろ


Voltar ao topo
 
 Título: Re: Misseis, Bombas e armamento em geral
MensagemEnviado: Qua Mai 23, 2012 9:48 am 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qua Dez 05, 2007 2:02 pm
Mensagens: 9157
Citação:
terça-feira, 22 de maio de 2012
projetos > defesa >
FPG-82 Sistema Friuli de Planeio e Guiamento - FRIULI / FINEP
Imagem

um kit a ser acoplado em bombas de aviação do tipo BA-FG-230/ MK-82.
Tem como objetivos dotar bombas de capacidade de planeio de forma controlada até um alvo pre-definido, potencializando o emprego tático com um baixo custo.
O KIT é composto basicamente de:
1. Um conjunto de asas que garante uma razão de planeio que, dependendo da altitude de lançamento, poderá conferir um alcance entre 70 e 80 Km ao conjunto;
2. Um sistema de guiamento GPS/INS com Eletrônica Embarcada para guiar a bomba até um alvo predeterminado O projeto é patrocinado em 80% pela Finep, com previsão dos testes de homologação em vôo no início de 2013.A empresa paulista Friulli está desenvolvendo kits de armas para aumentar o alcance das SMKB SEGURANÇA NACIONAL BLOG

:arrow: http://jardimgrandearora.blogspot.jp/2012/05/projetos-defesa-fpg-82-sistema-friuli.html

_________________
Abraços.

Imagem


Não alimente os trolls------------Don't feed the trolls---------------インタネット荒らしを無視しろ


Voltar ao topo
 
Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ Array ]  Ir para página Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Próximo

Todos os horários são


Quem está online

Array


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido
Enviar anexos: Proibido

Ir para:  
cron
Powered by phpBB © 2000, 2002, 2005, 2007 phpBB Group  
Design By Poker Bandits  
Traduzido por: Suporte phpBB Brasil