Forum Base Militar Web Magazine

Bem-vindo: Qui Nov 14, 2019 6:14 am

Todos os horários são




Criar novo tópico Responder  [ Array ]  Ir para página Anterior  1 ... 57, 58, 59, 60, 61, 62  Próximo
Autor Mensagem
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Dom Jan 10, 2016 6:33 am 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Sex Jan 01, 2010 9:52 pm
Mensagens: 9235
Eu sabia que uma hora iriam podar os aviões de transporte liberados para as reuniões de turmas da EPCAR.

Uma reunião que vi de 25 anos tinha uns oito aviões de Bandeirante a ERJ145.

Não sei como nunca deu escandalo, agora estão se precavendo..


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Seg Jan 11, 2016 12:58 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Nov 29, 2007 9:11 pm
Mensagens: 9903
Localização: Caxias do Sul - RS
Esta "nota" foi "vazada" por puro acaso.... mas terá graves consequências....

Cortar as horas de voo do GTE nada.....

O bule está enchendo senhores.... o bule está enchendo.... uma hora...

Sds.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Seg Jan 11, 2016 1:31 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Seg Jan 08, 2007 5:22 pm
Mensagens: 9197
Localização: Brasília - DF, Brasil
Como escrevi lá no Poder Aéreo, nesta mesma matéria, já vi tempos muito, muito piores na FAB. No mais, o que está se cortando, são voos festivos, então.......

Quanto ao GTE, é chover no molhado.

Até mais!!! ;)


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Qua Jan 27, 2016 7:28 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Seg Jan 08, 2007 5:22 pm
Mensagens: 9197
Localização: Brasília - DF, Brasil
Imagem

27 de Janeiro, 2016 - 09:30 ( Brasília )

Imagem

Comandante da Aeronáutica detalha planos para os 100 anos da FAB
Em entrevista, Comandante da Aeronáutica apresenta principais objetivos da instituição para os próximos 25 anos

Imagem
Foto: FAB

Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, assinou nesta quinta-feira (21/01) a Diretriz do Comando da Aeronáutica (DCA 11-45) que projeta como será o futuro da instituição. A “Concepção Estratégica – Força Aérea 100” delineia objetivos e principais desafios que a Força Aérea Brasileira (FAB) deve alcançar nos próximos 25 anos. Em 2041 a FAB completará cem anos.

Entre as metas está a qualificação dos profissionais do Comando da Aeronáutica. Segundo o Comandante, o militar da FAB em 2041 deverá ser “de alta capacitação operacional e administrativa, sendo referência para outras instituições da área governamental”.

Leia a seguir:

Agência Força Aérea - Qual deverá ser o papel da Força Aérea Brasileira em 2041?
Comandante da Aeronáutica - O papel da Força Aérea Brasileira será o mesmo que temos hoje, ou seja, manter a soberania do espaço aéreo com vistas à defesa da pátria. Certamente os meios aéreos, a interoperabilidade, a capacidade de comando e controle, a estrutura organizacional e o perfil de qualificação dos militares terão o benefício da evolução normal das diversas áreas do conhecimento.

Agência Força Aérea - Nas últimas décadas, os principais conflitos mundiais deixaram de ser travados entre Estados e passaram a ter como atores grupos nacionais ou transnacionais. O que isso significa no planejamento do futuro de uma força aérea?
Comandante da Aeronáutica - Não visualizo este cenário para nosso país. O pensamento unificado de que todos somos brasileiros e a união existente de Norte a Sul e de Leste a Oeste nos permitem pensar que não sofremos com problemas que existem em outras áreas do planeta. Temos, sim, que nos precaver das ameaças externas, pela cobiça que despertam nossas riquezas e nossas imensas áreas de vazio demográfico.

Agência Força Aérea - Uma situação comum nos últimos anos tem sido o uso de meios da FAB para atender à população em situações de crise, como no caso de enchentes, epidemias, queimadas e secas. Qual a visão do emprego da Força Aérea, no futuro, neste tipo de missão?
Comandante da Aeronáutica - Certamente não apenas continuaremos a cumprir este tipo de missão, como serão incrementadas. A carência de outros meios de transporte, as distâncias e a rapidez no atendimento por via aérea tornam a Força Aérea corresponsável na solução de problemas que estão dentro de seu alcance. Este tipo de missão faz, também, com que a população perceba a Força Aérea como sua protetora, não apenas contra ameaças externas, mas também para situações que precisam da intervenção do Estado.

Agência Força Aérea - No tocante aos meios aéreos, quais as perspectivas para os próximos 25 anos?
Comandante da Aeronáutica - Nossa Força está em processo de modernização e substituição de seus meios. Muitas mudanças já foram efetivadas como a implantação das aeronaves A-29 Super Tucano, AH-2 Sabre e H-60 Black Hawk. Outras estão em processo de recebimento, como o SC-105 Amazonas, H-36 Caracal e IU-50 Legacy 500. A modernização do caça F-5 está sendo finalizada e a do A-1 está em andamento. Entretanto, as modificações mais expressivas ocorrerão nos próximos anos com o recebimento do KC-390 e do F-39 Gripen, sendo que estas duas aeronaves constituirão a linha mestra de nossa aviação de transporte e caça. Embora costumemos falar muito em aviões, os tempos modernos têm novos atores no espaço como satélites e aeronaves remotamente pilotadas. As Forças Armadas precisam urgentemente incorporar estes meios em suas atividades militares e, por razões de afinidade, cabe ao Comando da Aeronáutica a iniciativa desta responsabilidade.

Agência Força Aérea - A FAB já tem em operação plena o seu primeiro esquadrão de Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP), hoje responsáveis por missões de reconhecimento. Qual a projeção para ampliar esse novo tipo de aviação na FAB? Podemos estimar para quando o uso, por exemplo, ARP em missões como ataque e patrulha marítima?
Comandante da Aeronáutica - Cinco anos atrás a FAB visualizou a importância das aeronaves remotamente pilotadas e criou o Esquadrão Hórus [1º/12º GAV, sediado em Santa Maria – RS]. Entretanto, esta unidade tem como missão fundamental o desenvolvimento doutrinário utilizando as aeronaves Hermes 450 e Hermes 900, envolvendo não apenas o Comando da Aeronáutica, mas também as Forças irmãs. Foram elaborados os requisitos para um ARP conjunto e estabelecido um conceito de emprego que irá beneficiar as três Forças, como também outros parceiros que necessitam este tipo de equipamento. No momento, o andamento do programa depende da alocação de recursos financeiros.

Agência Força Aérea - Os caças F-5 completam, em 2016, 41 anos de serviço ativo na FAB. Caso tenha a mesma história operacional do F-5, o Gripen NG – cuja previsão para recebimento da primeira unidade é 2019 - deverá voar até 2060. O mesmo pode ocorrer com vetores como o KC-390. Há um planejamento para a operação de longo prazo desses vetores?
Comandante da Aeronáutica - O F-5 presta um excepcional serviço à Força Aérea e tem potencial para permanecer em serviço por pelo menos mais dez anos. Outras aeronaves têm a mesma folha de bons serviços com o T-25 Universal, H-1H e C-130 Hércules, todos com mais de quarenta anos em atividade. O potencial e expectativa que temos em relação ao F-39 Gripen e KC-390 é que atendam à Força Aérea por um longo período.

Agência Força Aérea - O senhor acredita que o Gripen NG será o último caça tripulado da FAB?
Comandante da Aeronáutica - O assunto é muito discutido por aviadores e especialistas da área aeronáutica. Tem mais valor emocional do que prático, uma vez que tudo depende da evolução das tecnologias. Eu penso que a tecnologia tem auxiliado muito no trabalho que era feito, no passado, totalmente pelo tripulante. Mas o ser humano é a máquina mais perfeita que existe e não será descartada com tanta facilidade.

Agência Força Aérea – A FAB tem ampliado o leque de atuação de suas aeronaves, boa parte por suas capacidades multifunção. É o caso dos P-3AM Orion, aeronaves de patrulha marítima capazes de realizar atividades de reconhecimento, ou o H-60, que levou a Aviação de Asas Rotativas para um novo patamar operacional, atuando inclusive como vetor de defesa aérea. Como a FAB planeja o futuro das suas unidades aéreas? O futuro é a multifuncionalidade?
Comandante da Aeronáutica - Esta multifunção está mais afeta aos caças de gerações mais novas como será o caso do F-39 Gripen. Outras aeronaves, como o C-130, o P-3 e os helicópteros, sempre foram usados em diversos tipos de missões desde que equipados adequadamente. Dentro deste conceito de adaptação dos meios ao cumprimento da missão, quando desativarmos os T-25 e, posteriormente, os T-27 Tucano na instrução primária e básica de nossos pilotos, acredito que usaremos um único avião, como já se torna usual em outras Forças Aéreas.

Agência Força Aéreaa - E em termos de estrutura? Quais as perspectivas em termos de mudanças estruturais da Força Aérea? A distribuição das Bases Aéreas no território, por exemplo, pode ser alterada nos próximos 25 anos?
Comandante da Aeronáutica - Estamos divulgando a Concepção Estratégica da Força Aérea 100, ou seja, de quando a Força completar cem anos. Junto com este documento, estamos finalizando também a revisão do PEMAER (Plano Estratégico Militar da Aeronáutica) onde estão sendo aplicados conceitos de acordo com a capacidade que queremos da Força nos anos vindouros e adequando a estrutura, quantificação de pessoal, meios aéreos, número e localização das bases para atender esta visão de futuro.

Agência Força Aéreaa - Como o senhor avalia a gestão de conhecimento para a estruturação da Força Aérea do futuro?
Comandante da Aeronáutica - É indispensável, básico, que trabalhemos nesta área sob o risco de não conseguirmos avançar em nossos planos. Para aumentarmos nossa produtividade, otimizar nossos recursos em proveito da atividade fim, que é a “garantia da soberania do espaço aéreo com vistas à defesa da pátria”, precisamos ter uma revolução em nossos métodos de trabalho, na melhoria dos processos, na capacitação do pessoal e no uso de TI (Tecnologia da Informação).

Agência Força Aérea - E a política de pessoal? Que tipos de mudanças podemos ver nos próximos 25 anos?
Comandante da Aeronáutica - Racionalização do efetivo decorrente de uma estratégia de articulação que priorize as necessidades de treinamento e as demandas de emprego, buscando valorizar as características básicas de uma Força Aérea, como medidas práticas a concentração das unidades aéreas e uso de bases de desdobramento. A maior atenção à gestão do conhecimento pela concentração das atividades administrativas e implantação de processos modernos; o uso de PPP [Participação Público Privada] e EP [Empresa Pública] também contribuirão para a otimização e redução do efetivo.

Paralelamente, será implementada a quantidade de pessoal temporário tanto de graduados quanto de oficiais. Esta mudança de perfil permitirá receber profissionais prontos para trabalhos específicos e possibilitará dar maior atenção, oportunidades e capacitação aos militares de carreira. Esta nova visão da Força exigirá também mudanças nos perfis de formação de graduados e oficiais de carreira, adequando-os aos novos conceitos operacionais e administrativos.

Agência Força Aérea - Como deverá ser o militar da FAB em 2041?
Comandante da Aeronáutica - De alta capacitação operacional e administrativa, sendo referência para outras instituições da área governamental. Com visão ampla da missão da Força Aérea e sua inserção na estrutura pública e social brasileira. Deverá ter capacidade de se manter atualizado em diversas áreas, como TI e línguas estrangeiras. Terá condições plenas de operar de forma integrada com agências governamentais e Forças Armadas nacionais ou estrangeiras.

Agência Força Aérea - O que baseia os planos do projeto Força Aérea 100? Há exemplos de outras Forças Aéreas?
Comandante da Aeronáutica - Fundamenta-se na análise do histórico e da conjuntura da FAB. A partir desta análise foi apresentado um diagnóstico da Força Aérea e uma visão prospectiva com as propostas a serem implementadas. Estas propostas, onde predominam o uso de TI, comando e controle centralizado, estrutura de apoio simplificada, mobilidade, armamento inteligente e meios aéreos com condições de fazer frente a qualquer ameaça são uma tendência mundial e já foram ou estão sendo aplicadas em diversas forças aéreas.

Agência Força Aérea - Todos os planos da FAB estão condicionados à disponibilidade de recursos enviados pelo governo federal. Qual a estratégia para assegurar o fluxo financeiro necessário para a realização dos planos propostos?
Comandante da Aeronáutica - A concretização dos planos da Força Aérea, assim como da Marinha e do Exército, depende de recursos do governo federal. Há necessidade de conscientização da sociedade em geral, do Congresso Nacional e dos diversos órgãos do governo para a importância da Força Aérea na defesa da pátria e do inestimável apoio que presta à sociedade em épocas de normalidade.

O Brasil, com sua grande dimensão, fronteiras vulneráveis e extenso litoral, precisa de Forças Armadas compatíveis para sua proteção. Se não tivermos os meios adequados para defendermos nossos interesses, nossas riquezas, nossa integridade e nosso povo, não cumpriremos nossa missão e colocaremos nossos militares em posição de vulnerabilidade. Destaco que, na guerra moderna, a capacidade de dissuasão fundamenta-se prioritariamente no poder aéreo. Além disso, qualquer agressão ao nosso País começará pela tentativa de destruição dos meios aéreos e sua infraestrutura para obter a supremacia aérea e a partir daí ameaçar todas as estruturas do país.

Entretanto, todos nós, homens e mulheres do Comando da Aeronáutica, não devemos adotar uma posição passiva, à espera unicamente que o governo nos repasse os recursos que precisamos. Podemos e devemos pôr em prática o plano da Força Aérea de otimizar os recursos de que dispomos, ou seja, fazer nossa parte, por em prática a “Concepção Estratégica Força Aérea 100”.

http://www.defesanet.com.br/fab/noticia ... os-da-FAB/


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Qui Jan 28, 2016 9:26 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Nov 29, 2007 9:11 pm
Mensagens: 9903
Localização: Caxias do Sul - RS
Sugiro esperar deitado.... cansa menos e não dá varizes.

Sds.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Sex Jan 29, 2016 2:28 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qua Dez 11, 2013 10:29 pm
Mensagens: 1885
Localização: Hell de Janeiro
Nada dos 767, nenhuma menção à projetos de 5ª geração...

Mas a preocupação com mais pessoal tá lá...

Percebo que a FAB raramente tem projetos que priorizem o longo prazo e quando o tem geralmente perde o "timing" tecnológico.

Só para ilustrar, enquanto a ADA recebia seus Mirage-2000 já começavam a pensar em seu substituto. A mesma coisa com o F-15 na USAF dentre outros exemplos.

Do jeito que vai, meus netos ainda verão os Gripen pelos céus do Brasil...


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Sáb Jan 30, 2016 2:01 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Nov 10, 2011 8:18 am
Mensagens: 2298
Danzig escreveu:
Nada dos 767, nenhuma menção à projetos de 5ª geração...

Mas a preocupação com mais pessoal tá lá...

Percebo que a FAB raramente tem projetos que priorizem o longo prazo e quando o tem geralmente perde o "timing" tecnológico.

Só para ilustrar, enquanto a ADA recebia seus Mirage-2000 já começavam a pensar em seu substituto. A mesma coisa com o F-15 na USAF dentre outros exemplos.

Do jeito que vai, meus netos ainda verão os Gripen pelos céus do Brasil...


Talvez se torne inócua a aquisição do 767 em razão do KC-390. Mas... dê uma olhadinha no link abaixo

Afinal, teremos algo em casa que cumpre a missão que tanto se deseja.

http://www.fab.mil.br/noticias/mostra/2 ... eing%20767


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Sáb Jan 30, 2016 2:12 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Visitar website do usuário  Perfil

Registrado em: Ter Nov 06, 2007 6:50 pm
Mensagens: 4256
Localização: Brasil, RJ
Cavaleiro escreveu:

Talvez se torne inócua a aquisição do 767 em razão do KC-390. Mas... dê uma olhadinha no link abaixo

Afinal, teremos algo em casa que cumpre a missão que tanto se deseja.

http://www.fab.mil.br/noticias/mostra/2 ... eing%20767


Do link que você compartilhou ressalto este trecho:

Citação:
De acordo com o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, essa formação faz parte dos planos para a aquisição de aeronaves Boeing 767 a fim de realizar missões de transporte e de reabastecimento em voo. “O Boeing 767 é uma prioridade muito forte para nós”, disse, durante encontro com profissionais da mídia especializada em aviação.


atenciosamente,

_________________
::Robson Rocha
http://www.comunicarteei.blogspot.com


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Dom Jan 31, 2016 8:05 am 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Nov 10, 2011 8:18 am
Mensagens: 2298
Robsonmkt escreveu:
Cavaleiro escreveu:

Talvez se torne inócua a aquisição do 767 em razão do KC-390. Mas... dê uma olhadinha no link abaixo

Afinal, teremos algo em casa que cumpre a missão que tanto se deseja.

http://www.fab.mil.br/noticias/mostra/2 ... eing%20767


Do link que você compartilhou ressalto este trecho:

Citação:
De acordo com o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, essa formação faz parte dos planos para a aquisição de aeronaves Boeing 767 a fim de realizar missões de transporte e de reabastecimento em voo. “O Boeing 767 é uma prioridade muito forte para nós”, disse, durante encontro com profissionais da mídia especializada em aviação.


atenciosamente,


O jornalismo brasileiro é problemático. A cada fonte que se lê, acaba-se por ter uma ideia diferentemente da outra. Já li que o 767 foi adquirir porque a FAB precisava de um reabastecedor de ampla velocidade e altura. Já li que o objetivo maior é ser um transporte de passageiros em missões ou VIP, quando necessário. Já li também que, se é para ter o KC-390, para quer um tanque voador daquele tamanho. Bom! A resposta a gente não sabe ao certo, mas o curioso é que, qualquer aeronave, a qual é objeto de matéria, o Comandante da FAB sempre dá a mesma resposta: "é uma prioridade muito forte para nós".


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Qua Fev 03, 2016 5:51 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Ter Dez 23, 2008 8:35 pm
Mensagens: 2421
NOTÍCIASNEGÓCIOS

http://www.istoedinheiro.com.br/noticia ... ido/339901
Jato da Embraer é escolhido para treinamento das forças armadas do Reino Unido
03/02/2016 09:41Compartilhe: mail
Imprimir:print
O jato executivo Phenom 100, da Embraer, foi selecionado para realizar o treinamento dos pilotos das forças armadas do Reino Unido em aeronaves multimotor, informou a fabricante brasileira. O contrato assinado com a Affinity Flight Training Services prevê a aquisição de cinco aeronaves para o programa Military Flight Training System (MFTS), do Ministério da Defesa do Reino Unido. O contrato também inclui um pacote de serviços e opções para aeronaves adicionais.

Segundo a Embraer, o programa destina-se a substituir o modelo de treinamento inicial, básico e multimotor, que atualmente é realizado em aeronaves mais antigas, por uma nova solução totalmente integrada, que fornece aeronaves de treinamento mais modernas, dispositivos de treinamento no solo e material didático.

A solução é derivada do modelo de formação desenvolvido pela Ascent Flight Training, empresa responsável pelos serviços de treinamento do programa MFTS no Reino Unido. Em 2014, a Affinity foi selecionada pela Ascent Flight Training para fornecer e operar as aeronaves selecionadas para o programa MFTS.

"Estamos muito orgulhosos por termos sido selecionados em um programa tão importante para o Ministério da Defesa do Reino Unido", disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança.

O programa MFTS do Reino Unido é voltado para a formação de pilotos das forças armadas desde a fase inicial até o treinamento em voo elementar, básico e avançado, preparando-os para atuar em suas unidades operacionais designadas. O sistema é operado pela Ascent Flight Training, consórcio formado pela Lockheed Martin e pela Babcock International, por meio de uma parceria público-privada firmada com o Ministério da Defesa do Reino Unido.

Estadão conteúdoAVALIE ESTA NOTÍCIA: star1star2star3star4star5Compartilhe: mail
Imprimir:print


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Qua Fev 03, 2016 8:52 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Sex Jan 01, 2010 9:52 pm
Mensagens: 9235
Em relacao ao post acima. O avião é forte, fez um pouso forçado e ninguém se machucou.

http://www.baaa-acro.com/2011/archives/ ... in-sedona/

Imagembaaa.acro

O Paquistão comprou 4 para VIP e aproveita para instrução multimotor das pilotas devido a hora barata.
Os homens apreendem no CN-235 para transporte de tropa e as mulheres no Phenom 100 para transporte VIP.
Video com instrução no Phenom 100: https://m.youtube.com/watch?v=jmXgyANcTi8

ImagemEmbraer

ImagemPAF


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Qui Fev 04, 2016 2:57 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Seg Jan 08, 2007 5:22 pm
Mensagens: 9197
Localização: Brasília - DF, Brasil
É o substituto do Xingú.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Qua Fev 10, 2016 12:15 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Qui Nov 29, 2007 9:11 pm
Mensagens: 9903
Localização: Caxias do Sul - RS
Indonésia perde, em acidente, um dos ST adquiridos da EMB.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/ ... nesia.html

Sds.


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Qua Fev 10, 2016 6:51 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Ter Dez 23, 2008 8:35 pm
Mensagens: 2421
video da operação UNITAS - Brasil - EUA.

https://youtu.be/2axDOSByOIw


Voltar ao topo
 
 Título: Re: NOTÍCIAS
MensagemEnviado: Qui Fev 25, 2016 7:10 pm 
Offline
Sênior
Sênior
Avatar do usuário
 Perfil

Registrado em: Ter Dez 23, 2008 8:35 pm
Mensagens: 2421
http://theaviationist.com/2016/02/14/f- ... aqi-mi-24/



Imagem

Uma curiosidade do relato do unico abate/vitoria do Strike eagle no Iraque....

Quando chamado a ação pelo AEW para engajar 3 helis inimigos que estavam desembarcando tropas proximo de forças especiais amigas, o F-15 não conseguiu engajar com seu radar os helis em face da interferencia das helices....o radar via mas não conseguia traquear....

Como os Helis estavam quase pousados ou ainda decolando, resolveram tratar do ataque como um alvo em terra e para tanto tiveram de usar o pod e uma GBU....

Interessante...


http://theaviationist.com/2016/02/14/f- ... aqi-mi-24/


::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Gulf War 25th Anniversary: how a U.S. F-15E shot down an Iraqi Mi-24 gunship with a GBU-10 bomb 25 years ago today
Feb 14 2016 - 4 Comments

By Dario Leone
The impressive story of the only air-to-air victory achieved by the F-15E Strike Eagle.
Developed to replace the General Dynamics F-111 Aardvark, the McDonnell Douglas (now Boeing) F-15E is a dedicated multi-role version of the F-15 Eagle air superiority fighter: named “Strike Eagle” to point out its attack capabilities, the F-15E is one of the best fighter bombers ever built.

The F-15E saw action for the first time during Operation Desert Storm, the campaign aimed to free Kuwait from the Iraqi invasion: during the war the aircraft was mainly tasked to attack fixed and mobile Scud missile sites as well as Surface to Air Missile (SAM) ramps. And it was during Desert Storm that the F-15E scored its only air-to-air victory shooting down an Iraqi helicopter.

The kill was achieved on Feb. 14, 1991 by the F-15E #89-0487 call-sign Packard 41 from the 335th Fighter Squadron of the 4th Fighter Wing with Capt. Richard “TB” Bennett as pilot and Capt. Dan “Chewie” Bakke as WSO (Weapons System Officer).

Packard 41 was part of a flight of two F-15Es performing a Scud patrol, when the AWACS ordered them to destroy three Iraqi helicopters dismounting troops in the same zone in which several US Special Forces members were operating.

When the two Strike Eagles approached the target area, Packard 41 radar became intermittent, as explained by Bakke in Craig Brown’s book Debrief: A Complete History of U.S. Aerial Engagements – 1981 to the Present “What the radar was seeing was the rotation of the rotor blades, but it couldn’t hold a lock. So I decided to see if I can see them in the targeting pod.” Chewie saw two of the helicopters, or more correctly their rotors spinning in the LANTIRN pod. So he had to transition almost entirely to the pod, since as Bakke explained “the radar wasn’t much help at that point. Our mindset was turning to a ground attack…”

F-15E Hind killer

After TB and Chewie directed the other Strike Eagle to remain up in a high-cover and after having received the AWACS confirmation to destroy the enemy helicopters, they armed and selected one of their four GBU-10 Paveway II 2000-lb LGBs (laser guided bombs).

As Bakke himself recalls “TB queries me as to whether I’m good for a release. I’ve got good laser ranging to the target, but I hold off for just a little bit-no technical reason, just a gut feeling. Finally, I call ‘Cleared to Pickle’ and when TB pickles-off 2,000 pounds the aircraft immediately responded by shuttering and lurching upward.”

After having released the bomb TB performed a left designator turn but the GBU-10 time to impact quickly arrived to zero and he believed that the bomb had failed to impact. But at some point the bomb appeared on Chewie display: it was angled nose high, then started down and penetrated through the rotors, and the scintillation of the rotors as they disintegrated was easily discerned in the LANTIRN pod.

The GBU-10 then entered into the cockpit of the helicopter, and while it was coming out of the bottom of the aircraft the fuse delay functioned. Then a tremendous explosion disintegrated the helicopter in a huge fireball.

After this kill, Bennett and Bakke tried to engage the other two helicopters by using their AIM-9s, but since other Strike Eagles were dispatched to attack the remaining Iraqi choppers by dropping their bombs which could have hit Packard 41, TB and Chewie were forced to leave the zone.

Despite they lost the chance to shoot down the other two helicopters, Bennett and Bakke received the most important acknowledgment the day after, when the Black Hole (as the HQ in Riyadh was known) called them to express their gratitude for having downed an enemy Mil Mi-24 Hind gunship and saving 17 members of the Special Forces.

F-15E LGB

Image credit: Master Sgt. Lance Cheung / U.S. Air Force


Voltar ao topo
 
Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ Array ]  Ir para página Anterior  1 ... 57, 58, 59, 60, 61, 62  Próximo

Todos os horários são


Quem está online

Array


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido
Enviar anexos: Proibido

Ir para:  
cron
Powered by phpBB © 2000, 2002, 2005, 2007 phpBB Group  
Design By Poker Bandits  
Traduzido por: Suporte phpBB Brasil